2 de dezembro de 2021

Uma semana após anúncio de testagem nas escolas, governo da BA registra 16 casos de positivos assintomáticos

Por

Redação (pa4.com.br) com g1

 

Uma semana após anúncio de testagem nas escolas, governo da BA registra 16 casos de positivos assintomáticos
Segundo informações da Sesab, amostras foram processadas entre 18 de outubro e a manhã desta terça-feira (26). Testados estavam assintomáticos e participando das atividades presenciais.

Uma semana após a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) anunciar que ia fazer a testagem de até 180 mil funcionários e estudantes com idade superior a 13 anos da rede pública municipal e estadual, o governo registrou 16 casos positivos.

Segundo informações da Sesab, as amostras foram processadas entre 18 de outubro e a manhã desta terça-feira (26). Os testados estavam assintomáticos e participando das atividades presenciais.

De acordo com o órgão de saúde, foram feitos 1.757 testes, com 16 resultados positivos, cinco inconclusivos e 1.736 negativos. Além disso, 115 exames ainda estão em análise.

A Sesab informou que não foi feita uma separação por idade. A primeira coleta foi feita no Colégio Estadual Eduardo Bahiana, em Salvador.

A Bahia teve retorno de 100% das aulas presenciais na rede estadual de ensino no dia 18 de outubro, após um ano e sete meses da suspensão, que ocorreu em março de 2020, por causa da pandemia da Covid-19.

Segundo informações da Sesab, o objetivo da ação é identificar, monitorar e isolar casos da Covid-19 na comunidade escolar. O projeto Partiu! #Testagem nas Escolas tem a duração de três meses.

De acordo com a titular da pasta estadual da Saúde, Tereza Paim, estima-se que a amostragem aleatória de pessoas assintomáticas cubra até 20% da comunidade escolar. As amostras coletadas nas escolas pelas equipes municipais são enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA).

A secretária pontuou ainda que os casos sintomáticos são submetidos ao teste rápido de antígeno.

Protocolos sanitários
De acordo com o governo, para além do rastreamento dos casos assintomáticos, cada escola deve implementar uma estratégia padrão de rastreamento diário a partir de uma lista de sintomas, embasadas nos critérios clínicos.

O uso de máscaras, o distanciamento social e a higiene frequente das mãos são as medidas básicas para evitar a disseminação da Covid-19 na comunidade escolar.

Volta das aulas presenciais
A expectativa do governo é de que 900 mil estudantes retornem às atividades a partir desta segunda. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) é contrário ao retorno total em todas as escolas, e protocolou uma ação no Ministério Público da Bahia (MP-BA).

A categoria alega que algumas unidades do estado não têm estrutura suficiente para cumprimento de medidas sanitárias e não estão prontas pra receber alunos.

O APLB também fala sobre o risco para os estudantes, funcionários e os professores, já que ainda há circulação da Covid-19 e que nem todos completaram o esquema vacinal para prevenir a doença.

O Ministério Público do Trabalho diz que acompanha de perto retorno, e que montará uma comissão para fiscalizar escolas, sem aviso prévio de qual unidade será vistoriada.

Na capital baiana, o retorno foi tranquilo e sem aglomerações no início da manhã. Nas cidades de Barreiras e Vitória da Conquista, que ficam no oeste e sudoeste baiano, a situação se repetiu, assim como em Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, e em Juazeiro, na região norte.

A previsão é de que o ano letivo siga até o dia 28 de dezembro, nas mais de 25.700 unidades, espalhadas nas 417 cidades do baianas, de acordo com dados do Censo Escolar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!