23 de setembro de 2021

Sobre os desafios do ensino remoto na rede pública de Educação brasileira: uma ação possível?

Por

REDAÇÃO - PA4.COM.BR

Evelyn Ferreira Santana Silva. Foto: Arquivo pessoal (pa4.com.br)

Por Evelyn Ferreira Santana Silva*

 

Não é uma novidade em se tratando do ensino público no Brasil as inúmeras dificuldades vivenciadas pelos professores, gestão e alunos. Isso, antes mesmo da pandemia. Faltam materiais básicos para os trabalhadores e alunos tais como: papel, merenda, piloto, lápis, dentre tantas outros. Esses elementos, se fazem necessários e essenciais para que que os profissionais exerçam sua função com dignidade, suporte, bem como para que os alunos tenham subsídios no que diz respeito  ao aprendizado.

 

Posta esta questão, é impossível que fujamos da realidade da maioria daqueles que estão inseridos na rede pública de educação. As pesquisas apontam que 39,9 milhões de pessoas vivem na extrema pobreza no Brasil. O número supera a população inteira do Canadá, que é de 38 milhões de habitantes. Esses são dados atuais do Ministério da Cidadania. Isso nos leva a um ponto crucial:

 

Em um país onde já havia dificuldades gritantes ao que tange o ensino público, em que a educação não tem sido pauta prioritária, país assolado pela desigualdade social…Haja vista os números supracitados. Como tornar possível o ensino remoto?




 

Para que esse novo sistema funcionasse efetivamente, seria necessário o empenho dos entes federados em tornar os meios de tecnologia acessíveis aos alunos da rede pública.

 

Os professores já desgastados por um sistema que desmotiva e desvaloriza esta nobre categoria, se veem entre a necessidade de trabalhar dentro das novas normas exigidas e a impossibilidade imposta pela ausência de aparato para tal exigência.

 

Como chegar até um aluno sem internet, computador, celular? E ressalto, como famílias preocupadas com o pão de cada dia irão conseguir prover sua existência e adquirir os materiais necessários para o tão apregoado ensino remoto?  Não seria esse um dever do Estado? Não seria essa mais uma violação do que está posto no artigo 205 da Constituição Federal?

 

O artigo citado, afirma que o acesso à educação é um direito de todos. Meu questionamento é: Todos? Ou apenas todos que podem pagar?

 

 

*Evelyn Ferreira Santana Silva, nasceu em Paulo Afonso- BA, cresceu em Maceió- AL. Tem 28 anos é graduada em serviço social- UFAL, pesquisadora no âmbito de políticas públicas, assessora acadêmica, feminista, militante e compositora.



WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Comentários 6

  1. Neuza says:

    O mais interessante é que, os populistas que diziam que governavam para os pobres passaram 16 anos no poder enganando o povo e nenhum dos índices melhoraram e, muito menos a qualidade da rede pública de educação. Então, antes de sair militando por militar, sejamos honestos e realistas pois, contra fatos, não existem argumentos.

    • Adri says:

      Pois é. O bom é que o artigo nos faz lembrar desses problemas justamente quando o PT estava no poder.
      A nossa querida e sofrida Bahia é um exemplo desses problemas na educação. Infelizmente.
      Um retrocesso.

  2. cris matos says:

    Para que está feio! em 16 anos de pátria educadora não vemos nada de qualidade na educação, os índices mostram isso. Seja realista e coerente.

  3. Dilma says:

    14 anos com gasto no porto em cuba.
    Acho que dava para informatizar todas as escolas do Brasil.

  4. Análise says:

    Valeu a provocação da menina, intencional ou não. Os quatro comentários acima muito precisos. Jair Bolsonaro agradece. É o que está sustentando o governo atual.

  5. Junior Lira says:

    Aspectos comunistas na redação da menina aí. Tá repreendido em nome de Jesus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!