Por

REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM INFORMAÇÕES DO UOL

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Deputado Mário Negromonte Jr vota ‘não’ no segundo turno da reforma da Previdência. Foto: Reprodução.



 

Já era madrugada de hoje (7), quando a Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto principal da reforma da Previdência. O placar foi de 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção. Eram necessários pelo menos 308 votos (3/5 dos deputados) para aprovar o texto.

 

E assim como no primeiro turno (reveja aqui), o deputado pauloafonsino Mário Negromonte Júnior (PP), mais uma vez votou contra a reforma. O parlamentar gravou o momento do seu voto e publicou o vídeo em suas redes sociais. “Aí gente, votando mais um vez não à reforma da Previdência por acreditar que essa reforma não é uma reforma justa, porque ela vai afetar as pessoas que mais precisam, da Bahia e do Brasil. Não, com o meu coração e com a minha consciência, um grande abraço e vamos continuar essa luta!“, falou o deputado após digitar seu voto.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Votei NÃO no 2 turno, Votei CONTRA essa Reforma da Previdência. #amaquina

Uma publicação compartilhada por Mário Júnior (@marionegromontejr) em

 

O projeto ainda pode ser modificado porque falta a Câmara votar os destaques, pedidos para votar separadamente uma emenda ou parte do texto. Eles precisam ter, também, 308 votos para conseguir mudar o projeto. Isso deve acontecer nesta quarta-feira (7).

 

No início de julho, antes do recesso parlamentar, a proposta foi aprovada em primeiro turno com larga vantagem (379 votos a 131), mas sofreu algumas alterações importantes em relação ao texto original sugerido pelo governo, que reduziram o valor a ser economizado em 10 anos de R$ 1,236 trilhão para R$ 933 bilhões, segundo a equipe econômica.

 

Por ser uma tentativa de mudança da Constituição, a reforma precisou passar por duas votações na Câmara. Agora, a proposta segue para o Senado. Lá, passará pela Comissão de Constituição e Justiça. Não há Comissão Especial para analisar o projeto. Na sequência, vai ao plenário do Senado, onde também precisa ser aprovado em dois turnos, com 49 votos em cada, ou 3/5 dos senadores.

 

Se o Senado aprovar o texto da Câmara sem mudanças, ele é promulgado pelo Congresso e vira uma emenda à Constituição. Caso apenas uma parte seja aprovada pelo Senado, ela será promulgada, e o que foi mudado volta para a Câmara para ser analisado. O Senado pode, ainda, aprovar um texto diferente. Se isso acontecer, ele volta para a Câmara. Assim que a reforma for promulgada, quase todas as mudanças passam a valer, incluindo a idade mínima e o novo cálculo do valor da aposentadoria. Apenas alguns pontos levam mais tempo para entrar em vigor.




 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

3 respostas

  1. Parabéns Deputado Mário Negromonte Jr, , por se portar como verdadeiro representante do povo, dizendo NÃO a esta PEC tão prejudicial à população brasileira. Nós cidadãos pauloafonsinos estamos orgulhosos de sua decisão.

  2. PARABÉNS. AGORA SE PREPARE PARA SUAS VERBAS SEREM TODAS POSTERGADAS. ESPERO QUE O POVO FIQUE DO SEU LADO QUANDO VINHER O TEMPO DAS VACAS MAGRAS. POIS O bozo VAI CORTAR SUAS VERBAS E ALGUMAS DE SUAS PROMESSAS PODEM NÃO SER REALIZADAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.