Por

REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM CORREIO DA BAHIA

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
(Divulgação/Tony Winston/MS)



 

O primeiro lote de vacinas da Pfizer já está no Brasil. O avião que trouxe 1 milhão de doses do imunizante chegou ao país pelo Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, e o presidente regional da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, receberam a remessa.

Segundo o Ministério da Saúde, a remessa faz parte do acordo firmado entre a pasta e a farmacêutica em 19 de março, que totaliza 100 milhões de doses de vacinas até o fim do terceiro trimestre deste ano. As primeiras doses foram produzidas na fábrica da Pfizer em Puurs, na Bélgica.

O imunizante, que pode ser aplicado em pessoas a partir de 16 anos de idade, em duas doses, com intervalo de 21 dias entre elas, já tem registro para uso definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em março deste ano, a Pfizer e a BioNTech assinaram um acordo com o governo brasileiro para o fornecimento de 100 milhões de doses da ComiRNAty até o fim do terceiro trimestre de 2021, com um cronograma de doses crescente ao longo dos próximos meses.

Como será a distribuição

Diferentemente das vacinas de Oxford/AstraZeneca e Coronavac, a ComiRNAty, vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19, exige armazenamento em baixas temperaturas de refrigeração para maior durabilidade do imunizante.

A Anvisa aprovou o transporte e armazenamento a uma temperatura de -20ºC por um período único de até duas semanas. A mesma autorização já havia sido concedida nos Estados Unidos pela Food and Drug Administration (FDA), equivalente à Anvisa no Brasil.

Além disso, a vacina possui um prazo de validade de seis meses quando armazenada em temperatura de -75°C. A Pfizer disse ainda que desenvolveu uma embalagem inovadora em caixas nas quais o armazenamento da vacina a -75ºC pode se dar por 30 dias, desde que adequadamente preenchida com gelo seco.




 

Bahia afirma ter refrigeradores em diversas regiões

Apesar do Ministério da Saúde ter afirmado que as doses serão exclusivas para capitais, o Governo da Bahia já afirmou que tem 30 ultracongeladores para armazenar vacinas da Pfizer em nove cidades.

De acordo com o governo baiano, os equipamentos estão localizados nos municípios de Feira de Santana (5), Juazeiro (3), Jacobina (2), Ilhéus (4), Teixeira de Freitas (2), Barreiras (3), Alagoinhas (1), Vitória da Conquista (5) e na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (5), em Simões Filho, mas que atende toda a Região Metropolitana de Salvador.

Os equipamentos chegam a temperaturas de até -86°C. O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, afirmou no começo do mês que os 100 ultracongeladores foram licitados para armazenar as vacinas e, inicialmente, foram distribuídos 30 para as nove macrorregiões de saúde, cada um com capacidade de 368 litros.

No começo do ano, a Prefeitura de Salvador informou que tem quatro ultrafreezers com capacidade para armazenar dose da Pfizer.



Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.