Por

REDACÃO SITEPA4

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print




 

 

Após reunião do governador Rui Costa com os gestores municipais, na tarde desta quinta-feira (1º), o Governo do Estado e prefeituras fizeram mudanças nas restrições vigentes. As medidas serão publicadas na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (2). Um das novidades é a redução do toque de recolher, que passa a valer das 20h às 5h, em todo o estado, no período de 5 a 12 de abril.

 

Os estabelecimentos comerciais e de serviços deverão encerrar as atividades com até 30 minutos de antecedência do início da restrição de circulação de pessoas, que é das 20h às 5h, para garantir o deslocamento dos funcionários e colaboradores às suas residências.

 

Os estabelecimentos comerciais que funcionem como restaurantes, bares e congêneres deverão encerrar o atendimento presencial às 18h, permitidos os serviços de entrega em domicílio (delivery) de alimentação até as 24h.

 

A circulação dos meios de transporte metropolitanos deverá ser suspensa das 20h30 às 5h, no período de 5 de abril até 12 de abril.

 

Fica proibida, em todo o território da Bahia, a venda de bebida alcoólica em quaisquer estabelecimentos, inclusive por sistema de entrega em domicílio (delivery), das 18h de 9 de abril até as 5h de 12 de abril.

 

Também segue proibida, em todo o estado, a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras do dia 5 de abril até 12 de abril, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações.

 

Fica autorizado, em todo o território baiano, o funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a realização de atividades físicas, de 5 de abril até 12 de abril, desde que limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade do local, observados os protocolos sanitários estabelecidos.




 

Ficam suspensos eventos e atividades, em toda a Bahia, independentemente do número de participantes, ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas, tais como: eventos desportivos coletivos e amadores, cerimônias de casamento, eventos recreativos em logradouros públicos ou privados, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas coletivas em academias de dança e ginástica, durante o período de 5 de abril até 12 de abril.

 

Os atos religiosos litúrgicos poderão ocorrer, desde que, cumulativamente, sejam atendidos os seguintes requisitos: respeito aos protocolos sanitários estabelecidos, especialmente o distanciamento social adequado e o uso de máscaras; instalações físicas amplas, que permitam ventilação natural cruzada; limitação da ocupação ao máximo de 30% da capacidade do local.

 

Ficam autorizados, durante os períodos de restrição previstos no decreto, os serviços necessários ao funcionamento de toda e qualquer atividade industrial, do setor eletroenergético, das centrais de telecomunicações (call centers) que operem em regime de 24h e dos Centros de Distribuição e o deslocamento dos seus trabalhadores.










Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

11 respostas

    1. Você só tem vacina porque esse governador junto com os demais governadores dos outros estados estão lutando, e graças ao efeito Lula. Se estas achando ruim tome cloroquina e deixa a vacina para quem quer tomar.

      1. Conta outra que essa não cola. Rui e seu PT são uma vergonha pra o Brasil. Nada de combater a pandemia com tanto dinheiro do governo federal. Só ditadura e nada mais.

  1. Sou petista mas posso afirmar: esse governadorzinho é fake. Completamente perdido no combate ao Covid, destruindo vidas, empresas e empregos. Um verdadeiro incompetente. #ForaRuiCosta #AgilidadeNaVacina #QueroTrabalhar #QueroEstudar

    1. O governador sozinho não pode fazer nada, o problema que a maioria da população não colabora, o povo só reclamam por direitos mas os deveres não querem cumprir, muitos andam com a cara para cima nas ruas, fazem festas e aglomerações, não tem educação em todos os sentidos. Não adianta construir UTI e hospitais para COVID-19 porque não temos quantidade suficiente de profissionais, e o governo federal negacionista não compra os remedios para serem usados nas UTI, dificulta de todas as formas o combate ao coronavirus.

  2. foi só o governo federal pedir para os Governadores explicar o que fizeram com o dinheiro enviado para os Estados que já começou a mudar também gostaria muito de saber o que o prefeito de Paulo Afonso fez foi muiiiiiiiito dinheiro 💰💰💰💰💰💰💰💰💰💰💰💰

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.