Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

 

“/Eu quero um amor perfeito/ para aliviar meu peito/ que por ti já padeceu demais/” (Samba da Portela).

 

15055594_1102284273222908_5151872976092530345_n
Paulo de Deus e Ozildo Alves, candidato a prefeito e a vice, respectivamente, agradecendo aos 21,714 votos que obtiveram no pleito deste ano.

 

Pois é, ainda existe uma frágil ligação que segura à união antes apaixonada entre o Partido Progressista e o PMDB-, que juntos levaram uma enxurrada de votos no pleito municipal, não fosse o desempenho formidável de Raimundo Caíres (PSB), com inacreditáveis 10.358 votos, que correspondeu a 18,31% da preferencia do eleitor, é certo que nem a máquina, nem o nome do então candidato Luiz de Deus (PSD) seriam suficientes para impedir que ambos gerissem o município de Paulo Afonso.

 

Como o triunfo não veio – espera-se revés na justiça com ações que pedem a impugnação do prefeito eleito Luiz de Deus, assim foi dito várias vezes pelo vereador Antônio Alexandre (PMDB)-, porém, quando se chega ao PP, ninguém sabe dizer ao certo como andam as coisas… Lembram àqueles casais que vivem juntos em camas separadas. “Fui cumprimentar um cidadão do PMDB que está para cuidar disso e ele mal me deu a mão, me tratou com frieza”, me confessou um político do Partido Progressista.

 

“/Nada dura eternamente/tudo na vida é ilusão/ eu sabia que mais cedo ou mais tarde/ chegaria o dia as separação…/” (Samba do Salgueiro).

 

Na Câmara, a única voz que reflete a situação é exatamente a do vereador Edson Oliveira (PP), para quem esse casamento nunca desceu bem, e no fim das contas tinha uma premonição acertada. Veja que perdeu a eleição mesmo com boa votação, de resto, o PP teve desempenho excepcional, pode-se dizer sem medo de errar – com todo respeito que merece Paulo de Deus – que para esta eleição o dote foi do partido que lhe rendeu milhares de votos. Significa que a oposição em Paulo Afonso é forte e já pode definitivamente ficar solteira.

 

Quer mais evidente: o PP é um ‘bom partido’ e precisa se valorizar, que se fale repetidas vezes. Pôs o povo na rua, com parcos recursos e soube capitar a insatisfação da maioria, até entende-se certa insistência do deputado federal Mário Júnior (PP) em querer a dita união entre as oposições, mas depois do que se colheu este ano, não é possível que ainda se utilize de semelhante ideia. Com esses que estão aí, não dá, como dizem os jovens: não rola, sacou!

 

Concluo: é evidente a insatisfação de integrantes do PP com a falta de diálogo, digo, de transparência com os rumos que o PMBD irá seguir, e por isso, caso não mudem de atitude, ninguém estranhe o fim, pois o Partido Progressista sabe exatamente o que quer. Cumpre perguntar se o PMDB também sabe, e se conhecendo bem, depois das primeiras valsas, querem ambos à mesma coisa. Ninguém se arrisca a dizer que ‘sim’ por isso o ‘não’ ganha terreno.

 

“/Vai meu amor segue o teu destino/ que eu seguirei o meu/ sejas feliz / adeus…/”.

 

 

 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

2 respostas

  1. Se Raimundo obteve toda essa votação ainda , significa dizer que memoria de leitor é coisa curta!!!
    Más com tudo isso , não comemorem a vitoria de vocês como uma conquista de campanha, pois a derrota de Paulo se dá tão somente só a prepotência dos que estavam na coordenação de campanha dele!!!
    Esperem , 2020 chega logo , logo!
    Que venha qualquer um , levará uma pisa nas urnas!!!

  2. Claro que 2020 vai chegar, mas, o candidato do PMDB, não pode se candidatar pois é irmão do prefeito que ainda estará no governo
    no governo. Só em 2024 se o candidato do PMDB não for da família Barbosa de Deus. É isto que diz a Lei Eleitoral em vigor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.