23 de setembro de 2021

Três ciganos suspeitos de envolvimento nas mortes de PMs morrem em confronto na Bahia

Por

Redação (pa4.com.br), com informações do g1

O tenente Luciano Libarino Neves (à esquerda) e o soldado Robson Brito de Matos (à direita) foram mortos em Vitória da Conquista — Foto: Arquivo pessoal

 

Três homens suspeitos de envolvimento nos assassinatos do tenente Luciano Libarino Neves e do soldado Robson Brito de Matos, em Vitória da Conquista, no dia 13 de julho deste ano, morreram na tarde desta quarta-feira (28), em confronto com policiais, na cidade de Anagé, cidade que também fica no sudoeste da Bahia e a cerca de 50 km de Vitória da Conquista.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), os homens, que fazem parte de um grupo de ciganos, foram encontrados, às margens do rio Gavião, após uma denúncia anônima que relatava a presença de homens armados.

De acordo com a SSP-BA, equipes da 79ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e da Delegacia Territorial (DT) foram até o local onde aconteceu o confronto.

O órgão de segurança pública informou que os três terminaram feridos, foram socorridos e levados para o Hospital de Anagé, mas não resistiram. Um quarto homem, que também é cigano e participou do confronto, conseguiu escapar do cerco montado pelos policiais e é procurado.

Os homens que morreram foram identificados como Sólon da Silva Matos, de 21 anos, Diogo da Silva Matos, de 34 anos, e Bruno da Silva Matos, de 30 anos.

A SSP informou que com o trio, os policiais recuperaram a pistola calibre .40 do soldado Robson Brito, roubada após ele ser morto.

No dia 19 de julho, o Instituto de Ciganos do Brasil (ICB) emitiu uma nota pedindo intervenção do poder público, em Vitória da Conquista, após a morte dos dois policiais. A comunidade afirma que vem sofrendo represálias desde então.

Um adolescente de 13 anos, que faz parte de uma família cigana, foi baleado dentro de uma farmácia no centro da cidade, na noite de 14 de julho. Segundo a Polícia Civil, um homem entrou no estabelecimento e disparou contra ele.

O delegado Ney Brito, responsável pela 10ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) informou que o garoto não participou do crime contra os policiais, mas seria irmão dos suspeitos, que fugiram da cidade.

O adolescente foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado a um hospital da cidade, onde deu entrada em estado grave. Não há detalhes sobre o estado de saúde dele.

A delegacia da cidade disse que câmeras de segurança do estabelecimento registraram a ação e serão analisadas.

Suspeito preso e outros mortos
A Delegacia de Homicídios de Vitória da Conquista apurou que o crime contra os policiais foi cometido por dez pessoas: um pai e nove filhos. Três desses suspeitos morreram em confronto com policiais militares – um dos casos ocorreu na própria cidade e outros dois em Itiruçu.

O homem identificado como sendo pai dos suspeitos, e que também teria participado da ação, está preso. Ele, que foi baleado em uma ação policial no mês de julho, está custodiado no Hospital de Base da cidade, e já teve prisão preventiva decretada. Outros três suspeitos são considerados foragidos.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Comentários 1

  1. Pronto falei 3 says:

    No Brazil tem q ser assim: matou policial q estiver prestando serviços a sociedade de bem, tem q ter cpf cancelado mesmo! É a lei! Só se conserta o país assim! Bandido bom é bamdido morto! Fascínoras! Já vai tarde! Não adianta prender esse tipo de marginais. Só dao despesa pro estado e saem muito pior, cheios de ódio pra tocar terror nas pessoas de bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!