Por

[email protected] (www.pa4.com.br) com Correio24Horas

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

O suspeito de matar seis pessoas dentro de uma casa de prostituição em Jaboticabal, no interior de São Paulo, se entregou para a Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (22). O cabeleireiro William Roberto Ferreira Costa, 27 anos, ainda não foi ouvido, mas saiu com policiais em busca da arma do crime em um matagal nas proximidades do bordel.

 

Suspeito tinha a intenção de ficar com Dione da Silva Lima, de 30 anos, que acabou sendo morta a tiros  (Foto: Reprodução/EPTV)
Suspeito tinha a intenção de ficar com Dione da Silva Lima, de 30 anos, que acabou sendo morta a tiros
(Foto: Reprodução/EPTV)

 

William fazia trabalhos extras de segurança e tinha habilidade com a arma. Ele é casado e tem um filho. O crime foi motivado porque o suspeito chegou no bordel em busca da garota de programa Dione da Silva Lima, 30 anos, que estava no quarto com outro cliente. Irritado, ele começou a atirar.

Testemunhas relataram que William buscou atirar na cabeça das vítimas e recarregou o revólver várias vezes. “Ele foi muito calculista, muito frio e muito perito, também, em realizar a recarga dessas munições no revólver sem que deixasse cair as cápsulas no chão, ou seja, ele guardou as cápsulas para não deixar vestígios”, explicou ao G1 o delegado.

Ele fugiu do local do crime a pé, deixando para trás um Fusca com sua documentação, o que facilitou em sua identificação. Depois de ser ouvido, William será levado para uma prisão da região não divulgada. Como o crime causou indignação, a polícia teme que ele seja vítima de linchamento.

Crime
William foi até o bordel para passar a noite com Dione, com quem já tinha saído antes. No entanto, ela estava com o empresário Anderson Ricardo Montenor, 37 anos. Irritado, ele voltou até o carro, pegou o revólver e voltou para atirar nos dois. Depois, atirou em outras pessoas.

Além da garota de programa e do empresário, também foram assassinadas a dona da casa de prostituição, Leonilda Lucindo, de 72 anos, e a neta dela, Elaine Cristina Lucindo da Silva, de 29 anos, que trabalhava como garçonete no local.

O barman Zacarias Castor Ataídes, de 55 anos, e outra prostituta, Maria Lucia do Carmo Alvarenga, de 46 anos, natural de Goiânia (GO), também foram baleados e morreram. Uma das vítimas chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.