13 de junho de 2021

Rui Costa pediu à PM mais rigor e condução à delegacia contra quem promove festas e aglomerações

Por

Redação, com informações do g1-BA

Governador Rui Costa afirmou que solicitou posições mais enérgica nas fiscalizações a aglomerações na Bahia — Foto: Reprodução/TV Bahia



 

O governador Rui Costa disse nesta segunda-feira (31) que solicitou ao comandante da Polícia Militar, Major Paulo Coutinho, que exija mais rigor na condução de pessoas que forem flagradas promovendo aglomeração na Bahia. Segundo o governador, ele pediu que essas pessoas sejam encaminhadas às delegacias, para abertura de inquérito policial.

A fala de Rui reflete as constantes ocorrências de festas e aglomerações em Salvador e no interior baiano, mostrando pessoas reunidas sem máscaras, aglomeradas em espaços fechados e sem adotar as medidas de saúde necessárias para conter o avanço da Covid-19. Segundo o governador, o estado registra 85% de leitos de UTI ocupados.

Rui Costa classificou as aglomerações propositais como um crime e disse trabalhar para acabar com a impunidade.

“Eu tenho solicitado do comandante da PM, Paulo Coutinho, o máximo de rigor e a condução dessas pessoas para a delegacia. Que seja aberto inquérito criminal, de crime previsto em lei federal, contra a saúde pública”, disse o governador.
Ele citou que a recomendação para a PM não é somente que a aglomeração seja dispersada e os agentes encerrem as festas.

“Não basta acabar com as festas, porque outras ocorrerão. É preciso que eles [os presentes] respondam a inquérito, para que sejam julgadas pelo risco que estão provocando. Meu pedido a todos os policiais não é só que encerrem as festas. Conduzam as pessoas à delegacia, para que eles sejam ouvidas, e o MP decida se irá fazer a representação judicial. Não podemos ficar de braços cruzados enquanto vidas humanas são perdidas por causa de pessoas que acham que não podem adiar seu festejo. É uma falta de respeito com a vida humana”, afirmou o governador.

Rui Costa também informou que se reuniu com prefeitos de cidades do interior e pediu empenho na fiscalização de aglomerações no período do São João. O governador pediu atuação firme das Guardas Civis Municipais e mobilização para denúncia às polícias, quando houver infrações às medidas de saúde.

“Em março explodimos de casos [de ocupação de leitos de UTI]. Infelizmente hoje estamos com 85% de ocupação. Estamos com as unidades cheias. Não teremos capacidade e absorver nova leva de contaminados. Nem nós, nem a rede privada. Não temos mais esse ‘colchão de amortecimento’ para um grande volume de contaminados”, finalizou o governador.




 

 



VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Comentários 2

  1. maria da silva says:

    considerando que, os participantes dessas festas, não se preocupam em se contaminar ,que tal adotar a seguinte medida: ao contrario do que é feito(liberar/ conduzir para delegacias), por que não fechar o local(com os participantes dentro) e deixá-los na festa enquanto durar as medidas restritivas? evitando que os mesmos saiam infectando quem obedece e ainda precisariamos de melos policias para a operação ……

  2. Tah says:

    Esse governador …quer autorizar carnaval em 2022. Isso é BLÁBLÁBLÁ dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.