Por

REDACÃO COM INFORMAÇÕES DO SITE CONEXÃO VERDADE

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print




 

Um policial militar da Bahia, residente em Delmiro Gouveia-AL, foi encontrado morto na manhã dessa quarta-feira (31), em uma cela do 20º Batalhão, em Paulo Afonso-BA.

 

De acordo com informações, o militar foi identificado como Danilo da Silva. Ele teria sido encontrado sem vida por volta das 6h30 em uma cela onde estaria detido. Informações extraoficiais dão conta de que Danilo apresentava problemas psicológicos.

 

Ele estaria fazendo greve de fome, e na tarde de ontem (30), teria sofrido um surto psicótico, quando precisou ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e foi medicado.

 

O Instituto Médico Legal (IML) de Paulo Afonso recolheu o corpo do PM e vai, através de laudo, definir a causa da morte. Um inquérito policial já foi instaurado para que se investigue o acontecido.

 

Danilo formou-se policial militar da Bahia em 2011 e já tinha 10 anos de atuação.




 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

11 respostas

    1. Será não, os policiais estão sofrendo perseguições e assédio moral da pior espécie, e agora eles são obrigados a tirar fotos de seus telefones particulares pra comprovar que estão atuando. Se tiver algum advogado pra esclarecer a legalidade da polícia fotografar o povo que se pronuncie. Acredito que cabe processo na PM por registro e exposição da imagem sem autorização!
      E o servidor da segurança pública baiana que se rebelar contra o sistema político imperante no estado terá o mesmo destino do PM Wesley Góis!

  1. Teve um surto? Apresenta problemas psicológicos e prendem em uma cela? REVOLTANTE!!!
    NÃO era para ter acontecido, se agissem de forma correta.

  2. Vamos esclarecer bem isso , tudo bem que tem uma acusação de sua namorada , de estupro , mas o prenderam sem provas . A namora voltou com seu relacionamento , e ele foi diagnosticado com esquizofrenia e ficou afastado das suas funções .Surtou novamente , e o prenderam mais uma vez. No entanto, o seu comandante como sempre não a coisa certa , pois o soldado entrou em greve de fome , passou mal , e os médicos também com suas ”eficiências ” o medicaram e decidiram jogá-lo na cela novamente. O certo seria levar ao hospital para nutri-lo , e posteriormente passar por tratamento psiquiátrico.

  3. Estranho o grande número de casos similares, nas PM e forças armadas do Brasil todo. Não seria o caso das autoridades aprimorarem as avaliações psicológicas dos candidatos? Eles não “surtam” depois que são militares. Já entram para as forças com predisposição para isto. Adicione uma arma de grosso calibre e a tragédia está anunciada…

  4. O que vou comentar é baseado em uma obra escrita pelo professor Marcelo freixo, independente de duas convicções políticas e ideológicas,e também descordando de algumas opiniões.Porque citei esse professor de ciências políticas,por que temos como base nossa CF 1988,que trata da dignidade da pessoa humana,como podemos exigir dessa classe sofrida,mal remunerada,mal assistida pelo poder público que todos os dias enfrentam todos os problemas criados pela sociedade moderna e vale lembrar que problemas fazem parte da existência humana,o que não pode acontecer é quando os gestores não tentam resolver.A nossa PM tem que passar por uma reforma administrativa,deixar de ser militar e passar a ser uma força estadual,como nos países de primeiro mundo,eles teriam o papel de contenção social,e não caráter repressivo,inclusive dentro da própria instituição,que em século 21 ainda trata com prisão casos que a todo cidadão estaria respondendo. Liberdade,isso de acordo com o CP,CPP .casos como o ocorrido no farol da barra em salvador,que culminou no homicídio doloso,e mais esse guerreiro não podem cair no esquecimento.Somente uma sociedade organizada e unida com os propósitos de erradicar toda forma de opressão , é que iniciaremos a caminhada para uma sociedade descrita na CF de 1988.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.