Paulo Afonso: uma eleição surreal e sem juízo

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR | 12 de julho de 2020 às 11:16

Luiz de Deus e Anilton Bastos estarão, pela primeira vez em cerca de 30 anos, em lados opostos numa disputa eleitoral. Foto: Divulgação.



 

 

Por João da Silva Pereira (para o site pa4.com.br)

 

Não sabemos classificá-la de forma diferente tamanha é a surpresa com a invertida de uma realidade que foge a qualquer expectativa de que um dia viesse acontecer. Daí porque o pauloafonsino, queremos acreditar, vive a sensação de quem há muito acostumado a apreciar a paz e o brilho de um céu de brigadeiro, vê de repente o surgimento de uma nuvem negra no horizonte a ofuscar-lhe a beleza. Não deixa de ser uma arte ou diabólica artimanha da política que carrega em seu bojo as dissonâncias que fazem estremecer a base dos que vivem a paz e a harmonia. Que forças opostas se digladiem entre si é mais do que natural, nunca o bem contra o bem como agora se configura no embate entre Luiz e Anilton. Inconcebível que um relacionamento que foi sempre pautado na confiança e o bom entendimento seja sacrificado, relegando a um segundo plano a amizade, a mais nobre e sagrada das virtudes.

 

Paulo Afonso vive uma encenação macabra da política onde o orgasmo do poder, como dizia Ulisses Guimarães, sobrepõe-se a qualquer outra coisa. Ante essa fatalidade, uma pergunta se impõe: o que impediu que houvesse entendimento entre os dois sobre a sucessão? Desconhecemos, parece-nos que os dois nutrindo a mesma pretensão, acharam que seria inútil qualquer diálogo para se chegar a um consenso, o que não passa de uma falta de bom senso e ausência de fé no racional para se chegar a um entendimento.

 

Não sendo adeptos do destino que tem o poder de dar as cartas a guiar nossas ações e de tudo que acontece, costumamos responsabilizar o seu poder oculto, quando dentro do inexplicável. O desate do relacionamento Anilton e Luiz, pelo absurdo que o caracteriza, somos obrigados a debitar a sua causa aos caprichos da fatalidade. Não que o que aconteceu teria de inevitavelmente acontecer. Muito pelo contrário, era facilmente evitável, mormente quando se trata de duas pessoas civilizadas que fazem apologia ao diálogo. A ausência dessa iniciativa deixa-nos aturdidos e cegos em plena claridade. O eleitor, não menos perdido, acostumado a singrar nos dois barcos com segurança, será obrigado a optar por um, mesmo sabendo que ambos podem chegar a um porto seguro. Será forçado a avaliar alguns critérios que os diferenciam, tais como o que tem o mais jovem timoneiro, as velas mais enfunadas, as mais coloridas bandeiras que traduzem simpatia e carisma pessoal.

 

João da Silva Pereira é escritor, colunista e apreciador da política de Paulo Afonso. Reside em Penedo-AL. Foto (arquivo pessoal)

Talvez sem nenhuma consistência, vamos mesmo assim procurar resquícios que possam clarear um pouco esse paradoxal embate político entre os dois personagens em tela. No último pleito, em um de seus comícios o Luiz afirmou que era a última vez que subia num palanque para pedir voto para si próprio. Não teria sido uma inoportuna e desastrada promessa para quem lida na área política, onde as afirmações pretensamente categóricas diluem-se com o tempo? Independente dessa realidade, uma promessa pode firma-se como verdadeira a depender de quem a fez, isto é, por quem tem respeito e apreço pela palavra empenhada.  Nós, pessoalmente, temos o Luiz como uma pessoa de conduta ilibada e nessa linha virtuosa acreditamos no peso de suas palavras. Por que está agora a destoar? Tornou-se um frágil pecador que desatinado pelo orgasmo do poder cedeu ao feitiço dos requebros, à volúpia e fascínio sedutor da política? Sendo ela vestal e prostituta, o Luiz não tendo recebido a inspiração da pureza da deusa, terminou por ceder e prostituir a sua promessa. Por outro lado, nutrimos uma grande dúvida. Sabemos que a velhice cede facilmente, tende ao acomodamento, à perda gradual da vontade própria e da autoridade. Será que o Luiz é dono de sua decisão em decidir pela reeleição? Achamos que não. Pertence, muito provavelmente, a parentes e, principalmente, a acólitos bajuladores que estão a usufruir as migalhas do poder. Em síntese, com a promessa em referência, acreditando-se piamente com firma reconhecida, era de se presumir que daria por encerrada a sua atividade política e o Anilton livre para lançar a sua candidatura.

 

A verdade é que no campo eletivo seu mapa astral não tem acenado com bons presságios. Parecendo encontrar-se ungido com o estigma da desagregação, essa dissonância reveste-se de gravidade quando atinge parentes e amigos. Na última eleição, para seu grande desapontamento, teve como adversário um irmão desirmanado, o Paulo. Nunca conseguimos assimilar, até o presente, que um irmão mais novo e com dívida de gratidão, tivesse a coragem, dominado pela ânsia do poder, de renegar a harmonia familiar e tornar-se um anão perante a grandeza do ser humano. No atual, pleito, também totalmente inesperado, sofre do grande pecado por abalar um antigo relacionamento sempre embasado no mais perfeito entendimento. A diferença é que Anilton, primo e não irmão, sempre reconheceu seu apoio no início de sua carreira profissional e, por isso, nunca deixou e jamais deixará de reconhecer sua bondade e prestigiosa atenção, razão suficiente que o induz a um eterno sentimento de gratidão.




 

Concluímos para lamentar um erro comum e imperdoável aos dois que foi a ausência do elementar, a falta do diálogo para se chegar a um denominador comum. Evitaria que se rompessem antigos laços de amizade, que poderiam e devem perdurar para sempre, fazendo-os prevalecer à transitoriedade de um mandato eletivo. Achamos que nunca é tarde para se reconhecer um erro, um erro primário, diga-se de passagem, passar a enxergar a essência das coisas e pô-las com discernimento em seu devido lugar. Basta que haja boa vontade. Assim, nada mais nos resta senão desejar que a boa inspiração divina caia sobre suas cabeças. Vocês dois se encontram no topo da pirâmide da história política de Paulo Afonso como símbolo de probidade e competência administrativa. Não a subvertam por falta de juízo, pondo de cabeça para baixo o quadro de honra que sagra essa história. Saibam preservar a harmonia fraterna que sempre existiu e que reclamamos e aclamamos pela sua permanência. Força não se divide, soma-se, especialmente para o bem e entre os bons como os temos em conta. Nessa linha de pensamento e sentimento, seja de quem for a vitória, não haverá a incontida euforia de ouvir o forte repicar dos sinos em sinal de regozijo, mas o dobre lento, cadenciado e triste de um cortejo fúnebre.









21 pensamentos em “Paulo Afonso: uma eleição surreal e sem juízo”

  1. Excelente artigo! Já votei nos dois: dr Luis e Anilton! Mas agora, com essa guerra de egos inflados ou até mesmo por ganância pelo poder, não terão meu voto! E triste ainda mais é ver que os demais candidatos não têm nenhuma competência, apenas vislumbram poder!

    1. Concordo plenamente com você e afirmo que esse tipo de briga só prejudica o município, faz parte de querer manter o continuismo de uma oligarquia familiar, irão aparecer candidatos com discursos salvadores onde o eleitores devem ter cuidado para não se enganarem, principalmente discurso de algum militar ou outros candidatos que já foram prefeito e fizeram pouco pela cidade. Nao podemos cair no mesmo golpe da eleição anterior cujo eleito só sabe distilar o ódio entre a população.

      1. Talvez francisco não tenha observado , que essa guerra entre os dois candidatos , tem duas interpretações , a primeira , essa briga pode ser um teatro ,entre os dois , a outra pode ser a fome pelo o poder, e os milhões que a prefeitura arrecada todo mês , uma coisa eu tenho certeza , que todos os que vivem na mamata da prefeitura , ficando cada vez mais ricos , estão torcendo para que seu protetor , vença , e assim a mamata continue do seu lado , e os eleitores paulafonsinos , na merda ou esperando que sobre alguma migalha para melhorar a
        cidade

  2. Deus livre nossa cidade ,o povo dessa mentira.sempre foram juntos,e é óbvio que esse teatro de briga é tática antiga pra não perder a boquinha de contínuo ossalação da política opressora sem futuro

  3. Os dois representam um modelo politico arcaico, que em 30 anos não conseguiu construir nenhuma cadeia produtiva em nossa cidade, tivemos gestões baseadas em obras politicas e na elevação do trivial a algo extraordinário(reformas, asfalto, praças, tudo isso é trivial como a varrer sua casa) fora a administração infestada de parentes e apaniguados e empresários(parentes ou não) que não vendem um palito, mas ficaram ricos com as “licitações” da prefeitura, temos que dar um fim as oligarquias politicas e mostrar que a democracia antes de tudo também é renovação, não adianta dourar a pílula, não podemos ficar escolhendo entre o “menos pior” a vida toda, muda Paulo Afonso, chega dos Deuses e seus parentes.

    1. reclama quem tem ciência de vida,de poder viver bem ,com estruturas de dignidade através do próprio dinheiro público.os único s que não querem soltar as tetas são eles as custas das sobras e migalhas dos que os mantiveram no poder

  4. Essa eleição, o pauloafonsino terá a oportunidade de eleger alguém que nasceu e cresceu na realidade da vila poty e que vivenciou a necessidade de ter um familiar indo fazer tratamento de saúde em outra cidade em razão de nossa cidade gerida por profissionais da saúde chesfianos não disponibilizar serviços de saúde para os pauloafosinos.
    Talvez alguém que foi educado em escola pública e usuário do SUS, possa nós propiciar melhores dias, diferente daqueles que sempre tiveram as beneses de educação privada financiada pela Chesf e usuário de serviço de saúde particular, nó deixou faltar.

  5. Meu respeito ao Sr. João da Silva pelo seu artigo, entretanto, talvez por residir um pouco distante de Paulo Afonso ( Penedo-AL ), esteja um tanto desinformado da nossa politica local, quem lê este artigo e que conhece Paulo Afonso de imediato nota algo bastante “surreal”, pois da maneira que foi escrito dá a entender que existem apenas estes dois candidatos a Prefeito de nossa cidade, o que não é verdade. Quanto ao comentário referente as ultimas eleições o escritor, colunista, também parece estar completamente por fora do que realmente aconteceu.
    Para quem realmente está acompanhando o momento atual da nossa politica, sabemos que hoje temos pelo menos 05 (cinco) pré candidatos a Prefeito (Luiz de Deus, Anilton, Galinho, Raimundo Caires e Capitão Paz), portanto, desde já dizer que o pleito está polarizado entre Luiz de Deus e Anilton é no mínimo desconhecer a realidade dos fatos, senão vejamos:
    Luiz de Deus – atual prefeito porém com uma administração completamente atabalhoada, desde o inicio da gestão, recebeu uma prefeitura inchada de funcionários e com enormes débitos, pagou os débitos porém não teve coragem de demitir funcionários e não conseguiu, até hoje montar uma equipe confiavel, é de comentário nos Senadinhos que quem realmente manda é o seu genro, um advogado de Alagoas e a sua nora, um desastre total, cada dia mais perdido, sem falar que grande parte dos funcionários da Prefeitura estão boicotando a sua administração pois são partidários de Anilton (seu concorrente), gestão desastrosa e sem futuro, dificilmente conseguirá a reeleição.
    Anilton Bastos – Foi Prefeito 3 vezes, está com vários processos na justiça, bastante desgastado junto a opinião pública, ultimamente o grupo do atual Prefeito (Luiz de Deus) está quase diariamente fazendo denuncias e procurando desgasta-lo junto a população, não vai ser fácil a sua campanha.
    Portanto, ambos estão trabalhando um contra o outro, o que beneficia aos seus adversários (reino dividido não consegue se manter); certamente que somente após a abertura das urnas é que saberemos quem será o vencedor, fora disso é pura especulação, principalmente de quem está a distância, e pelo visto desinformado …!!!???

  6. Anilton na cabeça! Luiz tem e merece nosso respeito, mas há muito não governa, tornou-se um governado, que empresta seu legado para outros usufruírem das be nesses do poder. Melhor sair agora, para não ter um triste fim de carreira. Mais uma vez Anilton o socorrerá, vencendo a eleição.

  7. ANILTON ALÉM DE SER PERSEGUIDOR DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICO E VINGATIVO. E ELE ESTÁ SOBJURI COM O PROCESSO EM ABERTO NO TCM E NO TCU. E NÃO PODE SE REGIOSTRAR COMO CANDIDATO Á CARGO ALGUM E NEM TÃO POUCO CONCORRER AS ELEIÇÕES.DE 2020. O MESMO ESTÁ INELEGÍVEL POR 8 ANOS.

  8. eles já mostraram como funciona e continuam fazendo e todos votam apoiam o que eles fazem, sempre os mesmos puxa sacos, baba ovo, preferem ser burros jumentos, imbecis.

  9. POR ISSO A OPOSIÇÃO NÃO PODERÁ VIR FRAGMENTADA, PQ AI SÓ FAVORECE O PREFEITO LUIZ DE DEUS A SE REELEGER. MÁRIO GALINHO E RAIMUNDO DEVERÁ SE UNIR SE QUISEREM VENCER… ANILTON, O POVO JÁ O CONHECE, JÁ SABE COMO ELE ADMINISTRA, JÁ SABE QUEM ELE É, POIS O MESMO SÓ VAI DAR CONTINUIDADE AO GRUPINHO QUE ESTÁ AI, NÃO SE ENGANEM. VAMOS MUDAR!!!

  10. Isso é uma jogada política,tipo a última em q dr Luís era adversário do irmão e hj estão aí unidos,bem assim vai ser esses 2 deixo só passar e um deles ser eleito

  11. só digo uma coisa tem que aparecer gente nova esse povo que ta no poder a anos já tem dinheiro suficiente para aposentar ou deixar de herança para os seus herdeiros. já roubarão demais chega!!!!!
    falta tudo nessa cidade até vergonha na cara de muita gente.

  12. E 06 por meia duzia estamos perdendo muito paulo afonsinos por causa desse dois lembre povo de paulo afonso com senhor Anilton bastou perdemos muita vidas sem saúde e agora com Luis de Deus e continuação ##galinhoneles

  13. voces acreditam que eles estão brigados? os dois é farinha do mesmo saco lembram das eleições passada paulo de um lado luiz de outro , gente acorden luiz e anilton é pra ficarem td em casa é ora de mudança Paulo Afonso não tem im fábrica de biscoito porque sera?

  14. Anilton , melhor prefeito que a cidade já teve !
    Seremos sempre Anilton ! Volta logo Anilton ! Acaba com essa palhaçada desse governo de Luiz , já passou dos limites ! Graças a Deus só faltam 5 meses pra acabar de mamar nas tetas ! Volta logo Anilton .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.