13 de junho de 2021

“Os músicos deveriam ter o 2º benefício em junho”, aponta Evinha sobre lives propostas por Jânio Soares

Por

ASSESSORIA PARLAMENTAR

PAULO AFONSO – Profissionais da música afetados pelos sucessivos decretos municipais que proíbem shows, procuraram a vereadora Evinha Oliveira (Solidariedade) antes do Carnaval para que ela os apoiassem junto à Secretaria de Cultura e Esporte, na tentativa de promover lives naquele período.

Evinha chegou a conversar com o secretário Jânio Soares e foi avisada que, além de não ter verbas na pasta para pagar o cachê, corria-se o risco de o Ministério Público intervir e proibir o evento, como fizera em junho passado, no São João da Sedes.

Eis que agora o secretário anuncia que fará as lives com a mesma finalidade e com aval do prefeito Luiz de Deus (PSD).

Na sessão ordinária da Câmara Municipal da última segunda-feira (31), a parlamentar disse não ter compreendido exatamente o que mudou do Carnaval para cá, e que entende ter havido má vontade do secretário, porque se tivesse atendido ao seu pedido, seria o segundo cachê pago à classe.

“A Secretaria está com uma média de gasto de 140 mil mensal, e eu pergunto com o quê?; conversei pessoalmente com o secretário e sugeri que beneficiasse os profissionais da música parados há mais de um ano, ouvi dele que não havia verba para isso, e, em quatro meses, gastaram esse tanto de verba sem nenhum benefício concreto para a população”, disse.

A vereadora afirmou também que a recusa da prefeitura no Carnaval foi somente porque o pedido partiu da oposição.

“Resta claro que não foi feito antes porque o pedido partiu de mim, se considerarmos que neste momento a pandemia de Covid-19 está mais grave; contudo, eu fico satisfeita com a ação e na expectativa que contemplem de forma justa os músicos.”

A saber, nos primeiros quatro meses de 2021, a Secretaria de Cultura e Esporte gastou exatamente: R$ 586.936,89.

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.