Por

G1-AL

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Um levantamento sobre o programa Bolsa Família, divulgado na manhã desta sexta-feira (11) pelo Ministério Público Federal (MPF), traz que mais de 12 mil empresários em Alagoas recebem irregularmente o benefício. O diagnóstico Raio-X do Bolsa Família se refere ao período de janeiro de 2013 a maio de 2016.

 

Ao todo, o MPF identificou 13.936 pessoas como suspeitas de receberem irregularmente o benefício em Alagoas. Ainda de acordo com o disgnóstico, durante o período avaliado foram pagos pelo programa no estado R$ 2.732.874.407 e, dentro desse valor, R$ 56.762.351 foram repassados a perfis de beneficiários suspeitos.

 

Além de 12.376 empresários suspeitos foram detectados 1.497 servidores públicos com família de até quatro pessoas, 336 falecidos, 100 doadores de campanha com o valor maior do que o benefício e 19 servidores públicos doadores de campanha.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social ressalta o compromisso com a legalidade e afirma que há visitas domicialiares feitas regularmente pelas coordenações municipais do programa durante o processo de Averiguação Cadastral, realizado anualmente, onde a consistência das informações registradas no Cadastro Único é verificada a partir de cruzamento de dados com outros registros administrativos.

 

O município de Rio Largo apresentou o maior número de suspeitas de irregularidade, com 4,30%, seguido por Penedo, que teve 4,17%, e em terceiro na lista ficou Pilar, com 3,6%.

O MPF informou que o levantamento usou dados cruzados fornecidos pelo próprio governo federal, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pela Receita Federal e pelos Tribunais de Contas estaduais e municipais, na maior mobilização de instituições para fiscalizar o programa.

O órgão expediu as recomendações para que os gestores apurassem em cada um dos 102 municípios cada situação apontada no raio-x. Esta é a fase que está sendo divulgada agora. A próxima fase virá após o resultado desta primeira. Cada procurador responsável apurará os casos e atuará como achar melhor.

No dia 7 deste mês, o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário divulgou que mais de 11 mil beneficiários terão o Bolsa Família cancelado em Alagoas, e outros 19 mil terão o benefício bloqueado. O MPF diz que os 13.936 suspeitos identificados podem fazer parte desses que foram divulgados pelo Ministério.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.