Por

Por WL da Revista Baiana de Notícias

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

mp-e1476444508132-620x300Segundo informações do portal da Rádio Bahia Nordeste, o repórter Gil Leal procurou nesta sexta-feira (14) o Ministério Púbico/BA, em Paulo Afonso, para saber se a realização de festas de vaquejadas também estaria proibida na cidade. De acordo com as informações da Promotora de Justiça, Milane Vasconcelos, o MP de Paulo Afonso segue a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) e os eventos também estão proibidos na cidade.

 

A decisão da Promotora Milane e se baseia na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou a vaquejada como crime ambiental de maus-tratos a animais e declarou inconstitucional a lei estadual do Ceará que regulamentava a prática.

 

“Não foi apenas uma lei estadual que foi declarada inconstitucional, mas o STF foi mais adiante e reconheceu as práticas inerentes à vaquejada como condutas penais típicas, de modo que as ações praticadas na vaquejada não podem configurar maus-tratos e crimes ambientais apenas no Estado do Ceará”, afirma a ASCOM do MP/BA.

 

O crime de maus-tratos a animais é previsto por lei. Na ação, é citado que não é raro em provas de vaquejadas o animal ter a coluna ou costelas fraturadas.

 

Por tanto qualquer Promotor de Vaquejadas que já estiver divulgando seu evento, deve procurar o Ministério Público em Paulo Afonso e tirar suas dúvidas, pois caso ocorra sem o conhecimento da justiça, pena com multa será aplicada, além dos organizadores serem conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.