Líderes religiosos protocolam pedido de impeachment de Bolsonaro

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR | 27 de janeiro de 2021 às 0:34







Presidente da República, Jair Bolsonaro – Foto: Alan Santos/PR

Líderes religiosos protocolaram nesta terça-feira (26) na Câmara dos Deputados um pedido de impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro, em razão da forma pela qual conduz o enfrentamento à pandemia de Covid-19.

 

O documento é assinado por 380 pessoas, entre as quais bispos, pastores, padres e frades, ligadas a igrejas cristãs, incluindo católicas, anglicanas, luteranas, presbiterianas, batistas e metodistas, além de 17 movimentos cristãos.




 

 

Entre os signatários estão dom Naudal Alves Gomes, bispo primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, e dom José Valdeci Santos Mendes, bispo de Brejo (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sociotransfomadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

 

Consultada, a Secretaria de Comunicação da Presidência informou que não comentará.

 

Outros 61 pedidos de impeachment já foram apresentados à Câmara, dos quais 56 estão em análise, segundo dados da Secretaria Geral da Câmara. Os demais cinco foram arquivados ou não aceitos por questões formais, sem que o mérito fosse analisado.

 

Cabe ao presidente da Câmara decidir se aceita ou não um pedido de impeachment. O atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deixará o posto na próxima semana, quando será eleito o deputado que vai sucedê-lo no comando da Câmara.

 

O anúncio do protocolo do pedido de impeachment foi feito em um ato no Salão Verde com a presença de alguns representantes religiosos e parlamentares de oposição ao governo.




 

“A motivação principal deste pedido está relacionada à ausência total de iniciativas da parte do governo para diminuir e conter os impactos da pandemia de Covid-19”, afirmou a pastora Romi Bencke, representante do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs.

 

“O sufoco de Manaus é o sufoco do país inteiro, que neste momento tem população abandonada porque temos um governo que nega o direito à vida”, disse.

 

Argumentos
Na peça de 74 páginas, os autores afirmam que as “ações e omissões” do presidente durante a pandemia são crimes de responsabilidade contra a probidade da administração.

 

“Bolsonaro atuou contra recomendações de autoridades sanitárias, desrespeitou regras de obrigatoriedade de uso de máscaras, promoveu e estimulou aglomerações, colocou em dúvida a eficácia e promoveu obstáculos à aquisição de vacinas, fez campanha pelo uso de medicamentos e tratamentos não corroborados pela comunidade científica, o que resultou, entre outras consequências, na pressão do Ministério da Saúde para uso dos medicamentos sem eficácia comprovada em Manaus ao mesmo tempo em que se esgotava o estoque de oxigênio na cidade”, diz o pedido.

 

Segundo os líderes, Bolsonaro “deixou de fazer o que estava obrigado como presidente” e suas ações “levaram e seguem levando a população brasileira à morte e geraram danos irreparáveis.”

 

O pedido protocolado cita a lei 1.079, de 1950, que define os crimes de responsabilidade de presidentes da República.

 

Para os líderes religiosos, as atitudes do Bolsonaro se enquadram nas seguintes definições de crime de responsabilidade contra a probidade na administração:

 

-não tornar efetiva a responsabilidade dos seus subordinados, quando manifesta em delitos funcionais ou na prática de atos contrários à Constituição;
-expedir ordens ou fazer requisição de forma contrária às disposições expressas da Constituição;
-proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo.

 

No documento, os autores pedem que todas as assinaturas sejam reconhecidas, mesmo que apenas parte delas tenha sido certificada eletronicamente. A justificativa é que a pandemia dificulta deslocamentos para certificação digital e reconhecimento em cartórios. Pedem, ainda, que a validação presencial ou eletrônica das assinaturas restantes seja feita posteriormente, sem prejuízo da denúncia.

 

Quem assina
O pedido é assinado pelos seguintes movimentos:

 

-Aliança de Negras e Negros Evangélicos do Brasil (Anneb)
-Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Câmara (Cefep)
-Coletivo Abrigo: Pastoral de educação e assistência social de Porto Alegre – RS
-Coletivo Empatia Clarifranciscana
-Coletivo Juventudes, Fé, Ciência.
-Coletivo de Mulheres das Organizações Religiosas do Distrito Federal (Comordf)
-Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic)
-Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB)
-Cristãos Contra o Fascismo
-Instituto Catarinense de Juventude (ICJ)
-Juventude Franciscana do Brasil (Jufra)
-Liberta – Movimento de Igrejas Libertárias
-Movimento Fé e Política RS
-Movimento Social de Mulheres Evangélicas do Brasil (Mosmeb)
-Movimento Social Religioso do Distrito Federal
-Mulheres Contra Bolsonaro
-Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP)



23 comentários em “Líderes religiosos protocolam pedido de impeachment de Bolsonaro”

  1. São todos comunistas usando a bíblia para disfarçar fariseus miseráveis. Tentem tirar o presidente. Porque não tentam tirar os governadores e prefeitos que sumiram com o dinheiro para fazer hospitais de campanha e super faturaram na compra de respiradores rebanho de hipocritas

    1. FALOU CERTO!
      SE ESTAMOS FALANDO DE RESPONSABILIDADES, DEVERIAM TAMBÉM QUESTIONAR AO MENOS O SUMIÇO DO DINHEIRO DESTINADO À SAÚDE QUE PREFEITOS E GOVERNADORES .

  2. #FechadocomBolsonaro
    Não adianta tentar culpar o presidente pelo que o STF fez. Culpem a China pela pandemia.
    2022 é Bolsonaro de novo.
    Lembrando que líderes religiosos tem tanto de direita como de esquerda. Cada um tem sua opinião. E respeito todas. Mas não vai ter impeachment

  3. Bolsonaro praticou suicídio político. Está perdendo nosso apoio. Ele não precisa da Globo como inimiga. Ele é seu próprio inimigo. Lamentamos perder a esperança.

    1. Ops! Caminhoneiros em sua maioria está com Bolsonaro. Não teve greve. Ou seja, a maioria do povo brasileiro que votou em Bolsonaro está com o mito. Portanto não tem nada de suicídio político ou perda de apoio. E a Globo não é só inimiga do presidente, é inimiga de todos nós. Ela tem que pagar ou que deve…

  4. Será que os seguidores de bosonaro vão tomar a vacina ou vão continuar tomando cloroquina conforme manada o seu capitão?, falem algo perderam a voz foi…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk .

    1. Francisco j, já leu o relatório da Anvisa sobre as vacinas? Em resumo: como estamos em uma pandemia, está liberado que todos sejam cobaias (principalmente idosos) de vacinas cheias de incertezas. Além de sua segurança estar bem longe de ser comprovada, a eficácia da Coronavac é um pouco maior que 50%. Ou seja, além de se expor a um risco desnecessário, há 50% de chances de a vacina não fazer efeito nenhum no seu corpo.

      “Apesar de algumas incertezas clínicas existirem, COMO A DURAÇÃO DA PROTEÇÃO, PERFIL DE SEGURANÇA EM LONGO PRAZO, POSSIBILIDADE DE INDUÇÃO DE DOENÇA RESPIRATÓRIA AGRAVADA PELA VACINA, EFICÁCIA EM IDOSOS E CONTRA FORMAS MODERADAS E GRAVES DA COVID19, EFICÁCIA RELACIONADA AOS INTERVALOS DE DOSES, NÃO DEMONSTRAÇÃO DO PERFIL DE IMUNOGENICIDADE COM DADOS ROBUSTOS OBTIDOS DO ESTUDO CLÍNICO FASE 3, NÃO CONHECIMENTO SOBRE O POSSÍVEL DECAIMENTO DE ANTICORPOS, considerando a situação de Pandemia Covid-19, o perfil de eficácia e segurança da vacina Coronavac demonstrados são considerados aceitáveis para a indicação proposta.”

  5. Vou começa assim ! kkkkkkkkkkkkkkkkkk… Falsos crentes, se enganaram os coitados, crentes sem sabedoria de Deus, se deixaram engana kkkkkkkkkkkk… E é lamentável que ainda tem muitos se enganando, primeiro esse homem ai, tirou o direito do trabalhador se aposentar, mais Deus dará a resposta no tempo certo.

  6. São partidários convenientes às suas ambições pessoais, não cristãos.
    Grupos com argumento de empatia, mas que somente se fartam da gordura de suas “ovelhas”.

    São, na verdade, verdadeiros sepulcros caiados, isto é, formoso só na aparência, por dentro, podre!

  7. Lendo os comentários, olhe o resultado quando os “evangélicos” de araque se metem na politicagem. Sou evangélico mas esse povo não me representa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.