Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Há doze anos a Chesf teve ocupado o terreno da Ilha do Marciano, que está localizado no bairro Fazenda Chesf ao lado da Fundame. A área corresponde a um perímetro total de 2.123.600 metros quadrados. Vem de 2004, uma luta judicial contra o comerciante Alonso Afonso Ramos – morto em fevereiro deste ano, para a reintegração de posse.

 

bbbb
Chegada da Polícia Rodoviária Federal e da Chesf à Ilha do Marciano.

Depois de tramitar na justiça estadual sem que a questão avançasse, segundo explicou João Paulo Pirôpo – juiz federal, a união ingressou no processo e consequentemente tramitou com a devida celeridade.

 

capa
João Paulo Pirôpo – juiz federal que decidiu pela reintegração do terreno à Chesf.

Na manhã desta quarta-feira (30), com apoio da Polícia Rodoviária Federal, seguranças da Chesf e funcionários, os oficiais de justiça reintegraram o terreno à Chesf. A negociação durou toda a manhã.

 

Terminada a reintegração, Pirôpo explicou o processo em entrevista ao site Ozildo Alves, realizada em seu gabinete na  Justiça federal.

 

4
Reintegração com forte esquema de segurança.

″Já houve uma determinação anterior para a demolição de um prédio que estava sendo construído no local, que seria possivelmente uma pousada, e naquele momento específico, em razão de se construir uma obra nova após decisão judicial que tinha determinado que fosse paralisado qualquer tipo de obra″, detalhou Pirôpo.

 

8
Retirada dos pertences da família em caminhões da Chesf.

O juiz disse ainda que foram realizadas perícias que constataram que o terreno pertencia à Chesf.

″A decisão, dada há quarenta dias considerou a perícia, constava nos autos que o possuidor da terra, seu Alonso, havia falecido, foi também determinado que a Chesf promovesse a substituição da parte do mesmo por seus herdeiros″, Pirôpo afirmou que tudo foi devidamente publicizado e informado à família, há cerca de trinta dias. ″Foi publicado no Diário Oficial da Justiça e comunicado aos advogados das partes″.

 

3
A área corresponde a um perímetro total de 2.123.600 metros quadrados.

 

O mandato de reintegração de posse

 

″Nós tivemos a preocupação de resguardar a integridade física das pessoas que vão sair e de seu patrimônio, de forma que foi determinado caminhões para que pegassem os bens e evitasse mais prejuízos às pessoas que sofrem a reintegração de posse″.

 

Recursos

Segundo explicou o Juiz, esta decisão específica não teve recurso: ″Ainda falta a sentença, quando a Chesf promover a substituição de seu Alonso que morreu pelos seus herdeiros acontecerá. Uma vez proferida haverá a possibilidade para que as partes recorram, no caso no Supremo″.

 

2
Maria de Fátima Barbosa de Araújo – do departamento executivo da Chesf, acompanha a reintegração. EXECUTIVO NH-V

Futuro

A Chesf já adiantou que irá  disponibilizar a área livre para a venda, após estudo de delimitação do espaço de preservação permanente do rio São Francisco.

5
Maquinário da Chesf pronto para começar o trabalho, Companhia esperava há 12 anos pela reintegração.
15230816_1118104828307519_7398397504862476084_n-copia
Casa demolida – Chesf colocará terreno à venda.

dsc_8872

 

 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

9 respostas

  1. Parabéns juiz por mostrar como é que se faz, quem sabes os juízes daqui aprendem, nunca ouvi dizer que um camarada invade uma propriedade e passa-se dez anos pra um juiz devolver ao dono, isso é um país muito esculhambado – isso me cheira a coco de cavalo. Se vcs me entendem.

  2. Falta retornar a posso do terreno do DNIT na ponte metálica. Alguns malas criaram uma aldeia indígena, para poder se apropriar da área. Dizendo que são índios e só saem de lá com a polícia federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.