Por

Por Ítallo Timóteo | radar89.com.br

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Vítima era temida pela sociedade, ele foi identificado como Adriano Silvestre da Silva, vulgo ‘Galego imita cachorro’. (Crédito: Ítallo Timóteo – Radar 89 / Cortesia: PC-AL)
Vítima era temida pela sociedade, ele foi identificado como Adriano Silvestre da Silva, vulgo ‘Galego imita cachorro’. (Crédito: Ítallo Timóteo – Radar 89 / Cortesia: PC-AL)

Um homem que era temido pela população de Olho D’água do Casado, foi morto pelo próprio irmão na noite deste sábado (26), por volta das 22h40, no Assentamento Margarida Alves, no município de Piranhas, Sertão de Alagoas. Adriano Silvestre da Silva, o ‘Galego imita cachorro’ de 28 anos, teria tentado matar a sua própria mãe, quando o seu irmão identificado como Otaviano Silvestre da Silva, 18 anos, entrou em luta corporal e o matou com golpes de machado.

 

‘Galego imita cachorro’ já era acostumado a agredir a sua genitora, inclusive ele foi preso este ano pela Lei Maria da Penha e Corrupção Ativa. Dessa vez ele queria dinheiro para usar drogas, ao dizer que não tinha, a idosa acabou sendo agredida e foi ameaçada de morte. O jovem ao perceber que o indivíduo estava a agredindo a mãe, entrou em luta corporal e efetuou vários golpes de machado na região das costas e pescoço. Adriano Silvestre morreu na hora.

 

A Polícia Militar do Grupamento de Olho D’água do Casado foi acionado pelo pai dos envolvidos, a guarnição efetuou buscas, mas o suspeito não foi localizado.

 

Uma equipe do delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti composta pelo chefe de operações, Jair, esteve no local realizando os primeiros levantamentos. Em seguida o corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca.

 

 

Velho conhecido da polícia:

 

A vítima era bastante conhecido no meio policial, o apelido foi dado por que ele costumava latir e uivar igual ao animal. Ele já trocou tiros com Policiais Militares do GPM, e era suspeito de vários assaltos a estabelecimentos comerciais.

 

 

As investigações:

 

Apesar do suspeito não ter sido preso ainda, a polícia trabalha em uma hipótese de legitima defesa, uma vez que a anciã era idosa e corriqueiramente era agredida pelo filho. O caso será investigado pelo delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.