Por

REDAÇÃO SITEPA4

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print




 

 

Na sessão desta quarta-feira (03/03), realizada por meio eletrônico, os conselheiros e auditores da 1ª Câmara do Tribunal de Contas dos Municípios julgaram parcialmente procedente termos de ocorrência lavrados contra o prefeito de Macururé, Everaldo Carvalho Soares, em razão de irregularidades na contratação de pessoal para o enfrentamento à pandemia do Covid-19. O conselheiro Fernando Vita, relator dos processos, imputou ao gestor multa de R$ 1,5 mil.

 

Para a relatoria, a existência de lei municipal que autoriza a dispensa do processo seletivo em casos de emergência ou calamidade pública, não desobriga o gestor de remeter os contratos firmados para análise da Corte de Contas, nem deixar de inserir os dados no SIGA, do TCM, vez que cabe ao tribunal a apreciação dos atos de admissão de pessoal a qualquer título.

 

O prefeito, em sua defesa, afirmou que todas as justificativas para as contratações foram lançadas nos requerimentos de contratações e nos próprios contratos temporários, contudo, não juntou os mencionados contratos, e nem os remeteu ao TCM. Cabe recurso da decisão.




 



Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.