Por

[email protected] (www.pa4.com.br)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
A equipe de Paulo Afonso recebeu um cheque no valor de R$ 3 mil pela conquista do terceiro lugar no concurso.
A equipe de Paulo Afonso recebeu um cheque no valor de R$ 3 mil pela conquista do terceiro lugar no concurso.

 

“Melhoramento da eficiência de painéis solares a partir de um sistema automatizado de higienização”, projeto da equipe do curso de Engenharia Elétrica do IFBA Paulo Afonso que conquistou o 3º lugar na segunda edição do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação, promovido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia e Instituto Politécnico da Bahia em parceira com o Instituto Politécnico da Bahia (IPB) conta ainda com o apoio da Secretaria de Ciência e Tecnologia da Bahia (Secti), Sebrae e Senai.

 

A solenidade ocorreu na noite desta quinta-feira (24), no auditório do Crea-BA, e reuniu profissionais, estudantes, professores e autoridades da área tecnológica do Estado.

 

Nesta edição de 2016, os estudantes Michelle Melo Cavalcante e João Lucas de Souza Silva, sob orientação da Profª Danielle Bandeira de Mello Delgado, do Instituto Federal da Bahia Campus de Paulo Afonso, inicialmente disputaram o prêmio com mais 25 trabalhos inscritos de estudantes de várias regiões da Bahia, depois ficaram entre os 11 projetos aprovados na segunda fase o concurso, e finalmente conquistaram o honroso terceiro lugar pela Comissão julgadora do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação.

 

Os estudantes Michelle Melo Cavalcante e João Lucas de Souza Silva tiveram a orientação da Profª Danielle Bandeira de Mello Delgado.
Os estudantes Michelle Melo Cavalcante e João Lucas de Souza Silva tiveram a orientação da Profª Danielle Bandeira de Mello Delgado.

 

A professora-orientadora Danielle Bandeira de Mello Delgado, que orientou a equipe do IFBA Paulo Afonso afirmou que a conquista do Prêmio Arlindo Fragoso por uma equipe do interior do estado tem um grande significado. “Estamos muito felizes e estaremos na nossa região divulgando esta iniciativa para que outras equipes estejam escrevendo seus trabalhos e podendo concorrer a esta honraria”.

 

O vencedor do certame foi a equipe do curso de Engenharia Civil da Unijorge com o projeto “Democratizar informações na construção civil e trazer mais eficiência e economia para obras. Este é objetivo do “Construcode” – aplicativo que integra obra e projetos BIM através de QR CODES. E o 2º lugar foi o projeto “Borratrativo” – que utiliza o descarte da borra de glicerina para combater a mosca das frutas produzido por estudantes da Universidade Federal da Bahia – Ufba.

 

Lucas de Souza Silva e Michelle Melo Cavalcante, do Instituto Federal da Bahia Campus de Paulo Afonso.
Lucas de Souza Silva e Michelle Melo Cavalcante, do Instituto Federal da Bahia Campus de Paulo Afonso.

 

Na ocasião, o vice-presidente do Crea-BA, engenheiro químico Paulo Gilberto Silva, afirmou que o Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação ajuda a melhorar a qualidade da engenharia na Bahia e no Brasil. “Nosso país precisa ficar independente da tecnologia estrangeira”, frisa.

 

O presidente do Instituto Politécnico da Bahia, professor Caiuby Alves da Costa, afirmou que  a diversidade de trabalhos e adesão de diferentes instituições de ensino mostram o sucesso desta edição. “Isso se deve não só a inventiva dos estudantes, mas também a participação dos professores-orientadores, dando soluções a problemas que sociedade demanda”, destaca.

 

A diretora de Inovação e Competitividade, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação,  Mara Clécia Dantas Souza, chamou atenção para a importância de se interiorizar as ações do prêmio para oportunizar aos alunos instituições de ensino, situadas longe da capital, a experiência de divulgar e transformar sua ideia em negócio. Sugeriu ainda expandir para os próximos anos as categorias, incluindo os profissionais.

 

Premiação do 3º lugar na segunda edição do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação.
Premiação do 3º lugar na segunda edição do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação.

 

Evolução – O coordenador da comissão do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação, engenheiro mecânico Eduardo Sousa, afirmou que houve uma evolução na quantidade e qualidade dos trabalhos e que o empenho da equipe julgadora e promotora da iniciativa foi fundamental para o sucesso da segunda edição. “Várias instituições aderiram ao prêmio porque ele já se transformou em uma vitrine, uma oportunidade de se transformar uma ideia em negócio”, reitera.

 

20574c0c-4412-487a-a815-3167f9b3d8a3

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.