Por

Assessoria de Comunicação

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print




 

“Como é que está se gastando R$ 3,5 milhões num hospital e a situação está desta maneira?”. Esse foi o questionamento do vereador Marconi Daniel (PODEMOS), durante sessão remota da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 03, logo após denunciar em sua fala a falta de máquina de raio-x na Unidade de Saúde que está sem filtro. Essa não é a única reclamação da população relatada pelo parlamentar com relação ao Hospital Nair Alves de Souza (HNAS).

“Uma cidade do porte de Paulo Afonso passando por um vexame desse. O Nair vive hoje luta constante para viver. São inúmeras as queixas que recebo diariamente. Falta tudo. Além do problema do raio-x, recebi também o relato da falta de transporte até para levar uma pessoa que quebrou o útero. Isso não existe! Com tanto dinheiro aplicado na Unidade de Saúde. Será que existe quebradeira mesmo? Precisamos de pessoas técnicas para dar o destino de forma coerente e justa ao dinheiro que é aplicado no Nair. É preciso deixar de fazer politicagem com um aparelho que trata de vida. Onde foi parar esta verba?”, questionou.

Marconi afirmou que espera imparcialidade e transparência nas investigações que envolve a Saúde Pública de Paulo Afonso. “A Prefeitura abriu duas sindicâncias e já se rendeu. A gestão que temos hoje não tem sustentabilidade de se manter. Ela própria está se investigando e já está percebendo que existem coisas erradas. O Ministério Público Federal (MPF) está no caminho certo. As denúncias que foram protocoladas estão tendo efeito, e isso é fato concreto. Vamos aguardar para ver o desfecho dessa investigação. Como é que colocam servidores da própria Prefeitura numa investigação sobre a Prefeitura? Queremos ver se há imparcialidade e transparência. Não vamos estar alterando prazo algum. A Justiça tem que ser feita de forma imediata. A Caixa Preta dessa CPI tem que ser aberta”, disse.

O parlamentar, mais uma vez, defendeu a implantação de uma gestão tripartite, onde o hospital passaria a ser gerido pelo Município, Estado e União. “Vamos bater na porta em porta de Senadores para cobrar, pedir ajuda, se possível for. O Nair tem que ser administrado por uma gestão Federal. Estive em Petrolina no sábado e conseguir ver a diferença de um hospital federal. É outro nível. Vamos lutar para que essa qualidade de gestão também seja aplicada aqui. Esse negócio de Organização Social de terceirizada não funciona. Nós já vimos este filme antes”, afirmou.

Aumento na tarifa do transporte

Ainda durante a sessão, o vereador Marconi Daniel parabenizou os vereadores da bancada de oposição pela iniciativa na última semana de protocolar na Justiça uma ação contra a Prefeitura de Paul Afonso após o anúncio de reajuste da tarifa do transporte público gerido pela viação Atlântico de R$ 3 para R$ 4 reais.

“Quero parabenizar os vereadores Eva, Gilmário Marinho, Bero do Jardim Bahia, pela iniciativa. A Justiça já solicitou o documento e em breve vamos dar um grito de liberdade. A Prefeitura de Paulo Afonso, o prefeito e seus secretários tem que serem responsabilizados pelo aumento expansivo da tarifa de ônibus. A Justiça vai sinalizar de forma positiva para a gente, para o povo. Salvador teve recentemente um aumento de 5%, que representa R$ 0,15 centavos, Juazeiro com frota nova teve 5%, do mesmo modo que Petrolina 5. Repudiamos esse aumento absurdo de 33% na tarifa do transporte público de Paulo Afonso. Digo e repito povo tem que ter dignidade e qualidade de vida”, finaliza.




 







Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.