Com mais de 1 milhão de casos e quase 49 mil mortes, Bolsonaro volta a minimizar a Covid-19

Brasil ultrapassou marca nesta sexta-feira (19/06) e está atrás apenas dos Estados Unidos. País tem quase 49 mil mortes

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM METRÓPOLES | 19 de junho de 2020 às 21:21

IGO ESTRELA/METROPOLES



 

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a minimizar a pandemia da Covid-19 nesta sexta-feira (19/06), mesmo dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 1 milhão de casos registrados em decorrência da doença. Além disso, o país registra quase 49 mil mortes.

 

Ao falar com apoiadores que o aguardavam no gramado do Palácio da Alvorada, no fim da tarde desta sexta, Bolsonaro voltou a citar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que cabe aos estados e municípios determinar medidas de prevenção contra a pandemia de coronavírus.

 

“Se dependesse de mim – mas o Supremo disse que são os governadores que fazem esta política – não teria o pessoal parado de trabalhar, não. Quem tem idade de 40 pra baixo, se pegar, a chance de pegar algo grave é ínfima”, disse o presidente. Ele não falou nada da marca de 1 milhão ultrapassada no dia.

 

Uma apoiadora disse a Bolsonaro que familiares que residem junto a ela foram infectadas, mas ela, não. “Pode até ter pego e não sabe. Quase 90% não sente quase nada, nem sintoma de gripe tem”, respondeu o presidente.

 

Segundo o boletim epidemiológico mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde, no entanto, a Covid-19 já matou 2.410 pessoas e infectou outras 17.881 brasileiros com menos de 40 anos. Os números são um compilado de informações desde quando o vírus chegou ao Brasil até o último sábado (13/06), quando o país registrava 850.514 casos confirmados e 42.720 mortes por coronavírus.

 

Desde o início da crise do coronavírus, o presidente dá seguidas declarações nas quais diminui ou subestima o perigo que a pandemia representa. No fim de abril, por exemplo, ao ser questionado sobre o fato de o Brasil ter superado a China no número de mortos por Covid-19, Bolsonaro respondeu: “E daí? Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, disse, em referência ao seu segundo nome.

 

No início de março, o presidente sustentou que o isolamento e o distanciamento social, defendidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo próprio Ministério da Saúde, não estão funcionando para achatar a curva de mortos e infectados, mas “servindo só para matar o comércio”.

 

Essa foi a primeira vez que o presidente parou para falar com os apoiadores na portaria da residência oficial desde quarta-feira (17/06). Na quinta (18/06), ocorreu a operação que prendeu Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na quarta-feira. Apesar disso, assim como o número de casos de Covid-19 no país, o tema não foi tratado entre Bolsonaro e apoiadores.

 

Nessa quinta, durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Bolsonaro comentou a operação contra Queiroz e disse a prisão foi “espetaculosa” e ressaltou que o ex-assessor de Flávio “não estava foragido”.




 



14 pensamentos em “Com mais de 1 milhão de casos e quase 49 mil mortes, Bolsonaro volta a minimizar a Covid-19”

  1. O combate ao Covid-19 (coronavírus) compete aos estados e municípios, de acordo com decisão do STF. Então, a responsabilidade é unicamente dos prefeitos e governadores, vamos informar melhor

    1. O que vejo sendo cobrado do Presidente, aqui, é respeito e não outra coisa! Coisa que independe de cargo, função, posição ou qualquer outra situação. Vale a dica!

  2. Quanta desinformação meu povo, o STF já deixou claro que quem tem que combater o corona vírus são os PREFEITOS e GOVERNADORES. Cobrem deles

  3. Nome disso é EUGENIA: Matar os mais fracos para aumentar a produção e diminuir as despesas com saúde e aposentadoria. Nazistas faziam isso. E Bolsonaro que odeia comunista lembra em tudo um…

  4. SABEMOS QUE É O GOVERNADOR O PREFEITO QUE EXECUTA TODO TIPO DE TRABALHO COM O AVAL DO PRESIDENTE. SÓ QUE O PRESIDENTE ESQUECEU DO SEU PAPEL DE AGILIZAR, FACILITAR , DESEJAR O BEM DO SEU POVO. COISA QUE ELE NÃO QUER FAZER. FICA SE ACOVARDANDO.

  5. ATENÇÃO DEFENSORES DO GENOCIDA. LEIAM COM O MÍNIMO DE ATENÇÃO: A DECISÃO SO STF DIZ QUE OS GOVERNADORES E PREFEITOS PODEM TOMAR MEDIDAS CONTRA A PANDEMIA SEM A AUTORIZAÇÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE QUE, DIGA-SE DE PASSAGEM, ESTA SEM MINISTRO QUE TENHA FORMAÇÃO EM MEDICINA. ISSO PRECISOU SER FEITO PORQUE O GENOCIDA ESTÁ DESDE O INÍCIO DA PANDEMIA ABERTAMENTE CONTRA AS MEDIDAS.
    É claro que devemos cobrar de todos, mas principamente do presidente da República , que tem se mostrado completamente irresponsável e incapaz de gerir o país numa situação dessas.
    TENHAM VERGONHA NA CARA E PAREM DE DEFENDER ESSE CRIMINOSO. ENQUANTO DEFENDEM ESSE GENOCIDA O POVO ESTÁ MORRENDO.

  6. Porque não passar a informação completa?
    Desses 1 milhão de casos, mais de 500 mil já estão curados, outros em recuperação graças a Hidroxicloroquina.
    Vocês bando de sebosos,antes de falar merda do Presidente vão cobrar seus Governadores e Prefeitos,porque toda responsabilidade do combate ao Coronavírus são deles.
    Bolsonaro liberou Bilhões para Estados e Municípios, se eles não fizeram o que deveria ter sido feito a culpa é dele?
    Quem crítica o Presidente não sabe nem o que tá falando, ao invés de ir pela conversa e mentira dos outros vão se informar primeiro.
    Cada uma viu…

    1. Ja. Por favor, faz uma pequena pesquisa no google sobre a cloroquina e sobre o o auxílio emergencial. Tipo: estudos científicos e quem propos o auxílio e tal.
      Você está sendo feito/a de idiota!!!
      UM POUCO DE INFORMAÇÃO E O BRASIL NÃO ESTARIA NAS MÃOS DESSE MILICIANOS IRRESPONSÁVEIS E CRIMINOSOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.