Por

[email protected] (www.pa4.com.br)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

15825763_1395094903848265_1459132959502655338_n

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou, na última sexta-feira (30), no KM 2 da BR 110, em Paulo Afonso/BA, uma caminhonete FORD/Ranger roubada três dias antes em Feira de Santana/BA. A ocorrência foi registrada às 22h, após a equipe de serviço abordar o veículo nas imediações da Unidade Operacional local.

 

Informados pela empresa que fazia o rastreamento da caminhonete de que ela estaria rodando pela BR 110, os PRFs, com o auxílio de uma guarnição na Polícia Militar (PM), saíram para abordá-la e a trouxeram para o posto. Durante consulta aos sistemas, não havia nenhum registro de roubo, porém, em contato telefônico com o proprietário, foi confirmado que o carro havia sido roubado em Feira de Santana no dia 27/12. O dono já havia prestado queixa, mas o alerta de roubo ainda não estava vigente.

 

Entenda o caso

 

Logo após roubar a caminhonete, o autor do crime se apressou para anunciá-la em um grande site de compra e venda de veículos por um valor menor do que o praticado normalmente. Ao ver o anúncio, um homem de 24 – que conduzia o carro no momento da abordagem – entrou em contato com o “vendedor” e marcou um encontro para fechar negócio. Pagou parte do valor pedido em dinheiro e entregou alguns cheques para compensar em datas definidas.

 

O Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) estava dentro da caminhonete no momento do crime, o que permitiu ao indivíduo anunciar e vender o carro antes de o sistema emitir o aviso de roubo.

15823009_1395094907181598_5630311682861539535_n

 

O motorista foi levado para a delegacia de polícia judiciária para prestar esclarecimentos, onde foi aberto procedimento para apurar a sua responsabilidade no episódio. Embora o suposto vendedor portasse o CRLV e não houvesse registro de roubo, o baixo valor cobrado pelo bem e as condições do local e da pessoa que o vendeu deveriam ter elevado a suspeição sobre a origem do carro. Adquirir produtos nessas circunstâncias é crime de receptação culposa, previsto no parágrafo terceiro do Art. 180 do Código Penal.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.