Por

Euzeni Daltro (A Tarde)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

750_2016111020176568

 

Três homens suspeitos de envolvimento no ataque que matou Willian de Melo Santos, de 23 anos, e feriu outras cinco pessoas na terça-feira, 8, no bairro de Tiro Seguro, em Simões Filho, morreram em troca de tiros com guarnições da Rondesp RMS na noite de quarta, 9, no bairro Big Áurea, na mesma cidade.

 

A informação foi confirmada pelo coronel César Albuquerque, comandante da Rondesp RMS, e pelo Departamento de Comunicação Social (DCS) da PM. “As informações que colhemos, no local, apontam que eles têm participação no ataque do Tiro Seguro e no triplo homicídio que ocorreu no último dia 2”, afirmou o coronel Albuquerque.

 

Ainda de acordo com o comandante, o triplo homicídio ocorreu na Rua da Granja, em Pitanguinha Nova.

 

Líder do tráfico

 

A PM divulgou apenas as iniciais dos nomes dos suspeitos por uma questão de “norma interna”. Um deles, de iniciais J. O. D. 22, é apontado pela polícia como líder do tráfico de drogas no bairro Big Áurea e principal autor do ataque no conjunto Residencial Preto Velho, no Tiro Seguro, e do triplo homicídio ocorrido no dia 2.

 

Os outros mortos foram L. M. F., 21, e F. C. C., 22. Moradores do Tiro Seguro contaram que um dos mortos em confronto com a Rondesp RMS tinha por prenome Felipe e saiu da cadeia às 4h30 da tarde de quarta.

 

“Há dois meses Felipe foi preso roubando carro em Camaçari. Foi solto e preso novamente. Ele já veio aqui matar gente”, disse um morador.

 

Armas e drogas

 

Os policiais apreenderam com o trio uma espingarda calibre 12, uma pistola .40, um revólver calibre 38, munições e drogas. Um homem foi levado para a 22ª DT (Simões Filho), mas foi liberado.

 

Para o delegado Ciro Palmeira, titular da 22ª DT, ainda não há indícios de envolvimento dos três mortos pela PM com o ataque em Tiro Seguro. “Dois deles participaram de incêndios a ônibus na cidade”, afirmou.

 

Segundo o delegado, o atentado de terça foi uma retaliação pelo triplo homicídio de Pitanguinha Nova. “Eles estavam atrás dos autores do triplo. Na verdade, não foi o Willian”, explica.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.