Por

[email protected] (www.pa4.com.br) com MP-BA

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

15267880_1360300843994338_4858181479665239321_n

Um falso policial federal preso, notificação contra a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) e regularização de atividades de psicultura. São alguns dos resultados alcançados nesta semana pela Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) Tríplice Divisa na Bahia. Desde o último dia 21 de novembro, o grupo realiza operações no estado e em Sergipe e Alagoas.

O falso policial de 57 anos, conhecido como ‘Federal’, mantinha em cativeiro 18 animais silvestres (patos, pássaros e seriemas) sem autorização legal e possuía 12 armas, apetrechos para caça e armadilhas capazes de capturar mamíferos de grande porte. Foram encontrados em sua posse revólveres, rifles, espingardas, munição e miras a laser e telecóspica. Ele foi levado ontem, dia 30, à Delegacia de Polícia de Paulo Afonso, onde foi arbitrada fiança de R$ 12 mil. Ele ainda foi multado em R$ 9 mil pelo Ibama.

Também ontem, órgãos ambientais da FPI se reuniram com psicultores dos municípios de Glória e Paulo Afonso, onde a maioria de um total de 70 empreendimentos não dispõe de responsável técnico e de autorização para o uso da água. O objetivo foi firmar parcerias para a regularização das atividades até o final de 2017.

A Chesf foi notificada na última segunda-feira, 28, por irregularidades na usina PA4, que se encontra sob sua responsabilidade, na barragem de Paulo Afonso (480 Km de Salvador), região do Vale do São Francisco. No local, foram encontrados rejeitos de construção da barragem descartados pela própria Chesf. São britas, pedras e areia exploradas e comercializadas ilegalmente. Segundo a notificação, a Companhia terá que desenvolver um Plano de Recuperação de Área Degradada (Prad) e licenciar pessoas que utilizam o material descartado, para que ele seja aproveitado.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

2 respostas

  1. Acho que a educação e orientação são as melhores armas! E as prefeituras têm de botar pessoas experientes nesse setor que tenha coragem e noção de dar condicionantes! Talvez a próxima gestão faça isso. Muitos empresários querem trabalhar sério e sem uma boa gestão fica complicado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.