20 de setembro de 2021

A despedida de Padre Léo em Paulo Afonso, “um missionário que fez a sua páscoa eterna”

Por

Robson Oliveira / Pastoral da Comunicação Diocesana

Foto: Guilherme Marques

 

Na tarde desta sexta-feira, 03 de setembro, a Diocese de Paulo Afonso, juntamente com os fiéis que acompanharam pelas redes sociais da Pastoral da Comunicação Diocesana e os presentes na Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, despediram-se do Padre Léo Christiaan Hubertus Denis. Padre Léo, assim como era conhecido e chamado por todos, realizou a sua Páscoa no dia anterior, aos 78 anos. Seu corpo foi conduzido ao cemitério Padre Lourenço Tori, no Bairro Centenário, onde foi sepultado no jazigo do clero diocesano.

A cerimônia foi presidida pelo Bispo Dom Guido Zendron, que com o clero presente, celebraram a esperança de que o sacerdote, cumprindo a sua vida terrena, foi acolhido pelo o Pai. Em sua fala, Dom Guido recorda a vida missionária de Padre Léo, e o seu cuidado único que cativava o povo de Deus, no qual sempre se dedicou ao seu pastoreio.

“O nosso querido Padre Léo, aprendeu e viveu na carne, o valor da Paixão de Cristo. Agindo com uma humildade impressionante e procurando viver em primeira pessoa, o que ele através da vida pastoral do ensino e também como reitor do seminário, propunha aos outros. Nunca fazia propostas, sem antes ele viver. O seu jeito de chamar atenção muitas vezes com uma frase cheia de uma inteligente ironia, não magoava ninguém. Ele procurava viver um bom relacionamento com todos, unicamente preocupado em conduzir as pessoas, rumos a santidade, que é o nosso verdadeiro destino”, ressaltou.

 

Foto: Guilherme Marques

 

“O tempo da doença, que ele viveu com grande dignidade e serenidade, será a melhor lembrança que carregarei sempre comigo. Pois foi um momento de uma grande purificação, de uma oferta sacerdotal sem comparação, e com quanta serenidade ele se entregou. A todos aqueles que cuidaram do nosso irmão, (padres, seminaristas, consagrados, leigos e leigas), o meu agradecimento pessoal e dos familiares, no quais sempre tivermos contato e que estão participando conosco neste momento,” disse o bispo.

Em sua fala, o bispo propõe uma lembrança física ao Padre Léo, dedicando a ele as Casas para Padres Idosos e Doentes, que serão construídas no Centro Diocesano de Glória – BA. “Ele mesmo falou várias vezes, que queria colaborar afim de que os padres depois de dedicar sua vida a Cristo e a Igreja, não fiquem sozinhos ou abandonados numa ou outra casa de repouso,” ressaltou.

 

Foto: Guilherme Marques
Foto: Guilherme Marques

 

Após o término da cerimônia, o corpo seguiu cortejo pela cidade, em direção a Catedral N. Sra. de Fátima, e em seguida ao cemitério Padre Lourenço Tori, no Bairro Centenário, onde foi sepultado no jazigo do clero diocesano. Enquanto o cortejo seguia para o sepultamento, o povo aos arredores homenageava o sacerdote.

 

Foto: Guilherme Marques

Homenagens

Desde a nota de falecimento, várias homenagens foram feitas nas redes sociais, em agradecimento ao serviço do Padre Léo. Fiéis presentes e online, acompanhavam emocionados a Missa Exequial. Ao final da cerimônia, uma mensagem feita pelo Padre João Souza, foi lida. Leia a mensagem na íntegra:

Padre Léo Christiaan Hubertus Denis

Um Padre Missionário que fez sua Páscoa Eterna

Padre Léo Christiaan Hubertus Denis, veio da Bélgica ao Brasil, para proclamar a Boa Nova do Evangelho. E hoje, celebramos nesta igreja diocesana de Paulo Afonso, na Bahia, Brasil a sua Páscoa Eterna.

Sua morte nos faz lembrar o Apostolo dos Gentios, Paulo de Tarso que diz: “Se morremos em Cristo, temos fé que também viveremos com ele” (Rm 6,8). A vida do cristão é marcada por uma certeza de fé inabalável, que é a Ressurreição. A morte física do padre Léo, é o início da sua permanência no céu. A morte não é o fim para aqueles que creem no Cristo Jesus, mas o inicio de uma vida plena em Deus. Nosso Senhor não deixará de recompensar uma vida de total dedicação à causa do Evangelho.

O padre Léo Denis era uma pessoa boa, um companheiro, estudioso e apaixonado pela sua vocação sacerdotal. Um homem cheio de ideias e sonhos. Gostava que nas conversações, na vida diária e nos compromissos de missão, tudo fosse estruturado muito bem, as ideias e ser o mais assertivo na hora de se comunicar. Na sua oratória deixava visível a paixão pela missão e pela Igreja; ao tempo, que com uma habilidade sapientíssima e exemplar, estruturava um raciocínio inteligível ao tempo em que vivemos para expressar as verdades do Evangelho e da Igreja.

Como missionário fidei donum, foi pároco desta estimada paróquia de N. Sra. Do Perpétuo Socorro, onde foi reitor da Casa Vocacional N. Sra. Aparecida (Seminário Propedêutico). Foi vigário paroquial em Jeremoabo, Novo Triunfo e Paripiranga. Serviu como reitor no Seminário Dom Mário Zanetta em Feira de Santana, também de outras missões na Arquidiocese de João Pessoa na Paraíba e no Timor Leste.

A igreja diocesana de Paulo Afonso agradece a Deus pelo tempo de dedicação e serviço que o padre Léo Denis realizou nestas terras do sertão baiano. A alegria do Senhor Ressuscitado foi força deste grande missionário, deste homem de fé.

Pela misericórdia de Deus, que nosso irmão, Pe. Léo Denis, descanse em paz! Amém!

Clero da Diocese de Paulo Afonso

Seminário Maior Dom Mário Zanetta

 

Foto: Guilherme Marques

 

Foto: Guilherme Marques

 

 

 

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!