Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Com o reinício dos trabalhos legislativos de 2011, na Câmara Municipal de Paulo Afonso, a noite do dia 15 de fevereiro passou de solenidade para oportunidade de apresentar a opinião pública, representada por autoridades e convidados, uma realidade pouco divulgada pela mídia oficial: os claros problemas gerenciais da Gestão Executiva Municipal.


Assim, o vereador e líder da bancada de oposição desta Casa, Celso Brito Miranda utilizou-se do seu “tempo” para defender as ações da bancada pela ordem democrática. Também exaltou em seu discurso que a bancada foi ativa e lutou pela moralidade do legislativo combatendo atitudes autoritárias e malversação do dinheiro público, “evitando que os mais exaltados fossem donos do legislativo, ou mesmo, os ditadores de um poder”. Evidenciou, porém, que está sendo devolvida a Casa do Povo o direito de ir vir, sem constrangimentos ou ameaças, retomando a confiança popular, essencial para o bom trabalho do legislador.


Contudo, o discurso manteve o foco nos graves problemas de gestão na saúde do Município, principalmente, com os atuais desmandos cometidos na secretária que coordena a pasta, sendo este tema o mais debatido entre os oradores da noite. “Todos viram aqui, nos pronunciamentos dos vereadores que me antecederam a preocupação, que não é de agora, insistente em uma área de saúde, aonde um serviço foi desmontado de forma desumana prejudicando a população”, diz Celso Brito em referência ao fechamento da maternidade do HMPA, e ao atendimento precário da Atenção Básica.


Utilizando-se de uma passagem bíblica expressa em Eclesiastes 3:1-8, o vereador fez uma reflexão no uso do “tempo” e como há um tempo para todo propósito dos homens, mas que este mesmo “tempo” tem se expirado para quem foi conduzido a um mandato com a esperança de promover uma nova ordem administrativa e progressiva no Município. Antes o vereador elogiou o Comandante do 20º BPM Ten.Cel. Neves pelo trabalho na Polícia Militar em tão pouco “tempo”, demonstrando eficiência e propósitos bem definidos, utilizando os mesmos recursos financeiros e humanos. (O vereador esclarece que não há deméritos ao ex-comandante da Corporação, mas as ações recentes têm sido efetivas, eficientes e eficazes).


Segundo o líder da oposição, a obrigação do gestor público é servir a comunidade, pois “quando se assumem cargos, principalmente, aqueles que são confiados pela vontade popular têm por obrigação traçar metas, planejar e ter liderança suficiente para fazer com que os servidores públicos cumpram suas determinações”, numa alusão direta a forma como alguns secretários e funcionário municipais parecem ignorar o respeito hierárquico e atuam, aparentemente, por vontade própria e ao arrepio do conhecimento do Chefe do Executivo. Neste ponto, o vereador surpreendeu ao lembrar que o líder político do governo municipal, o ex-deputado Luiz de Deus, teve vários de seus aliados demitidos sumariamente, sem que o Prefeito (e primo) agisse em seu favor, numa clara perseguição que parece não acabar. E completou: “… O Gestor que faz isso com o maior líder do seu partido. Imaginem o que é capaz de fazer com os adversários políticos?…”


O vereador disse também, que espera que as declarações transmitidas pelo Procurador do Município, Flávio Henrique da “defesa intransigente da coisa pública” sejam cumpridas para que o município caminhe rumo ao desenvolvimento, mas que pela permissividade praticada por seus prepostos demonstra que o mesmo está se contradizendo em suas declarações.


Reforçando o tema da saúde sobre a instalação de UTIs, o vereador enfatiza a importância desta ação. Contudo é visível a forma negligente como a administração tem tratado a Atenção Básica, e da forma como o sistema tem sido gerenciado, não há como dar mais tempo para mostrar resultados, pois eles já são claros, e a história das UTIs vem como cortina de fumaça. Pois, segundo o vereador “não podemos pensar só em UTI enquanto a maioria dos PSFs tem atendimento (médico-clínico) uma ou duas vezes por semana. Onde a maioria dos PSFs que é para atender (cada) mais de 100 pessoas por semana, atende isso durante o mês”.De forma que os pacientes portadores de Hipertensão e diabetes não estão recebendo o devido acompanhamento  o que poderá acarretar um grave problema de saúde pública em nosso município. Sabendo-se que 80% dos casos de saúde são tratados nas unidades Básicas (PSF e PACS)este descaso com o atendimento nas unidades pode trazer conseqüências que não há UTI que resolva.


Encerrando suas palavras o vereador lembrou os esforços para conquistar recursos e organizar o sistema de Saúde Municipal, quando secretário de Saúde, principalmente, a Gestão Plena. Diante do representante da DIRES pede que o órgão estadual, atenda a sua Indicação (feita a DIRES há mais de um ano) e faça a inspeção nas Unidades Básicas de Saúde “para vir à tona formalmente como desumano é esse governo! Para que caia a mascara! Para que esta ‘torre de marfim’ que se instalou aqui na Apolônio Sales, isolada, que não olha os interesses da comunidade… deixe de querer ser o início, o meio e o fim”.


E finaliza: “Será que o povo de Paulo Afonso vai ter que esperar 1 ano e 4 meses, quando começa a campanha política, para que todos estes problemas sejam resolvidos?”. O vereador diz que esperava mais do prefeito quando eleito, mas não têm visto este progresso, e sim pessoas insatisfeitas, pois é preciso que haja um plano de desenvolvimento de conhecimento da comu��������ù �� ��

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.