Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Testemunha chave é ouvida por juizes


por Wadson Correia (cadaminuto.com.br)



 


As denúncias veiculadas no CadaMinuto sobre um possível grupo de extermínio no Sertão de Alagoas fizeram o Tribunal de Justiça, por meio da Corregedoria de Justiça, designar o juiz titular de Água Branca, Eduardo Burichel, para concluir os processos de Robeiro Sátyro dos Santos, o “Robério do Fórum”.


 


Robério é considerado foragido da justiça após ter mandado de prisão expedido pela 2ª Vara de Delmiro Gouveia, mantendo decisões da 17ª Vara Criminal da Capital.


 


Em dezembro do ano passado, o vigilante Antônio Mário Cavalcante, 44 anos, que reside em Delmiro Gouveia, ‘abriu o jogo’ com exclusividade ao CadaMinuto, após receber ameaças de morte, e decidiu apontar os crimes praticados pela quadrilha liderada por Roberio do Fórum.


 


Além de decretar a prisão do acusado, Eduardo Burichel pediu também o afastamento da juíza Rachel Torres que analisava os processos. Ela vem sendo acusada de facilitar a liberdade do suposto chefe da quadrilha.


 


“Queremos justiça. Eu posso morrer a qualquer momento e nada é feito. Só vou me acalmar um pouco quando souber que Roberio está preso. Mesmo assim, ainda estou correndo risco de morte. Ainda bem que a corregedoria afastou a juíza do caso”, desabafou Antônio Mário.


 


Depois da denúncia divulgada no portal, os juízes que formam a Corregedoria de Justiça ouviram Antonio Mário. Após uma semana, um grupo de juízes esteve por mais de um dia analisando todos os processos que estavam “arquivados” no fórum de Delmiro Gouveia. A juíza titular Rachel Torres acabou sendo afastada dos processos.


 


O juiz provisório, Eduardo Burichel informou à reportagem que os processos que tramitam na 2ª e 3ª Vara, além do juizado de Delmiro Gouveia estão sobre sua responsabilidade. “O mandado de prisão foi expedido no mês passado mantendo a decisão dos juízes da 17ª Vara Criminal de Maceió”, explicou o magistrado.


 


De acordo com Antônio Mário, pelo menos oito execuções têm a participação de Robério, Gilson Negão, André e o irmão conhecido por Maciel. Todos já são considerados foragidos da justiça. Policiais informaram ainda que o mesmo grupo tem ligação com roubo a ônibus, nas rodovias estaduais e federais da região.


 


Homicídios ocorridos em Delmiro


 


O primeiro homicídio foi praticado contra “Rodrigo vendedor de Joias”, no ano de 2005, na Rua Rio Branco, no Centro. Antônio detalhou que a vítima era funcionário do filho da juíza Rachel Torres, o Sérgio Torres.


 


Em 2006 foi executado ao lado do Mercado Público, no bairro Eldorado, uma pessoa identificada por, “Popó”, ex-funcionário da Casal.


 


2007 – O filho de Zé Costa, o Cabeludo é morto, ao lado do quiosque, Centro. “Esse crime foi presenciado por José Requebra, irmão do Guarda Municipal, Lalá”, falou Antônio.


 


Ainda no mesmo ano, José Requebra é assassinado como “queima de arquivo” para não desvendar o crime do Cabeludo. Em 23 de julho de 2008, José das Malhadas morre numa emboscada, quando seguia do povoado para o fórum, onde trabalhava com Robério.


 


2009 – O Guarda Municipal José Carlos Neves, o “Lalá” é morto quando estava a serviço. Lalá era amigo do Robério e tinha envolvimentos com tráfico de drogas.


 


Em 2010, um duplo homicídio é registrado contra mototaxistas em frente ao hospital Antenor Serpa. Genivaldo Vicente Pereira, o “Dodô” e José Bezerra de Queiroz, o “Cabeça”. “Esse crime aconteceu porque os dois descobriram que o assassino do Lalá tinha sido o Robério do Fórum”, contou Antônio Mário.


 


O guarda municipal, Lalá informou a Antônio, 20 dias antes de morrer nomes de sete pessoas que podem ser mortas a qualquer momento. São eles: Cabo Victor, que trabalha no fórum de Mata Grande, Vera Vicente, Lucicréia Vicente, advogado Raul, o ex-guarda municipal, Neulmar e o ex-policial militar Alberto, acusado de ter matado uma pessoa na cidade de Piaçabuçu.


 


O CadaMinuto procurou algumas das pessoas listadas pelo guarda municipal Lalá poucos dias antes de sua morte em Delmiro Gouveia e descobriu que Vera e a filha Lucicréia Vicente, que também estão ameaçadas de morte, não mediram esforços para desvendar, mais pessoas que formam o grupo de Robério, visando ajudar o trabalho da polícia.


 


Na lista está o nome de uma pessoa conhecida por “Prikitinho”, policiais militares, Marçal, Suruagy e Pereira, além do policial civil Raimundão. Anderson e André que estão envolvidos na morte do vereador Fernando Aldo, morto em Mata Grande, também foram citados.


 


A reportagem também conversou com familiares do mototaxista, José Bezerra de Queiroz, o “Cabeça”. Familiares que não quiseram se identificar, mas contaram detalhes da vida de Cabeça. Robério chegou a ser preso, por porte ilegal de arma de fogo, mas acabou sendo liberado.


 


“O Cabeça era muito amigo do Lalá”, disse uma pessoa que não quis se identificar, que também não escondeu que José Bezerra ao lado de Genivaldo Vicente foi até Paulo Afonso (BA) para matar Robério do Fórum. Roberio chegou ser atingido por disparos, mas sobreviveu.


 


Em contato por telefone com a delegacia de Delmiro Gouveia, um dos integrantes da quadrilha liderada por Robério foi preso em flagrante. Anderson Tavares es��������Ù!�� ��

Testemunha chave é ouvida por juizes


por Wadson Correia (cadaminuto.com.br)



 


Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.