Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print



A ex-secretária municipal de saúde de Paulo Afonso, Andrea Bathomarco concedeu na tarde deste domingo (06/02), uma entrevista exclusiva ao Portal OzildoAlves e ao Programa Tribuna do Povo, da Rádio Betel FM. Andrea foi a dona da pasta da saúde durante 1 ano, no período de janeiro a dezembro de 2010. A enfermeira era uma das pessoas de confiança do Prefeito Anilton Bastos (DEM). Ela vestiu a camisa do grupo político liderado pelo ex-deputado Luiz de Deus e encabeçou a vitoriosa campanha eleitoral de 2008, que conduziu Anilton ao paço municipal.


 


Mesmo magoada pela forma com que ocorreu a sua saída e pela omissão do prefeito – em momento algum Anilton a procurou para ao menos ouvir a sua versão – as declarações de Andrea foram prudentes, ela agiu mais pela razão do que pela emoção. Porém, foi dura ao responder as insinuações de Luiz Aureliano, que em entrevista nesse mesmo portal, deixou a entender que Andrea protegia o noivo – o enfermeiro Felipe – ex-SAMU. Aureliano demitiu Felipe, Andrea não aceitou e também deixou a prefeitura.


 


A ex-secretária disse ainda que ficou surpresa com a declaração do prefeito Anilton, que ao voltar de férias elogiou as ações iniciais de Luiz Aureliano. A enfermeira também falou sobre a grave denúnica do secretário, quando afirmou que nos últimos meses havia médico trabalhando pela prefeitura sem atender nenhum paciente. Veja:


 


Andréa, você se surpreendeu quando soube que o prefeito Anilton Bastos iria lhe substituir por Luiz Aureliano na Secretaria de Saúde?


 


R: Não me surpreendi tendo em vista que pela própria natureza do cargo – livre nomeação e exoneração – isso poderia acontecer a qualquer momento. Isso é escolha do prefeito e ele deve colocar aquele que achar conveniente.


 


Entendo que, por questões de conveniências políticas haja, eventualmente, mudanças no secretariado. Isso, inclusive, tem sido o padrão nos mais diversos setores do Executivo Nacional. Só lamentei pela maneira como essa questão foi tratada.


 


Você e o prefeito sempre diziam que a saúde estava bem, então, em sua opinião, quais os motivos de sua exoneração?


 


R: Durante a minha gestão, eu e minha equipe conseguimos muitas conquistas, vários avanços. No entanto, a demanda por serviços de saúde é muito acentuada no nosso município. Tive sempre o desejo de avançar, diminuir as distorções encontradas entre os setores públicos e privados e está cada vez mais presente no atendimento as necessidades de saúde pública da população. E, enquanto isso acontecer nos nossos sistemas de saúde podemos dizer que “vai bem” porque há um crescimento, uma evolução na rede de atendimento e da qualificação desses serviços.


 


Após a entrada de Aureliano, muita coisa aconteceu, várias demissões de pessoas de confiança de Anilton. Você foi remanejada para dirigir o HMPA e quando uma pessoa querida sua, seu noivo, o enfermeiro Felipe foi demitido por Aureliano, você também resolve sair. O que aconteceu?


 


R: Como já relatei, a mudança no secretariado acontece. É previsível. Qualquer profissional que se comprometa em assumir uma secretaria ou qualquer outro cargo de gestão sabe disso. No entanto, as transições devem ocorrer de maneira urbana, respeitosa, não só com esses profissionais, mas para com a Administração Pública.


Não desejo fazer parte de qualquer equipe que não impere o respeito e comprometimento com os princípios da administração pública. 


 


Aureliano insinuou na entrevista que era ele – Felipe – quem escolhia o dia de dar plantão no SAMU, isso acontecia?


 


R: Declarar que aquele profissional era favorecido ou era ele quem escolhia, é, no mínimo, um desrespeito não só a mim e a ele, mas a todos aqueles coordenadores que participam da gestão daquela unidade.


 


Esta escala era elaborada unicamente pelos coordenadores daquela unidade estabelecendo um determinado número de plantões aos profissionais que ali trabalhavam, e, seus coordenadores nunca se sujeitaram a quaisquer interferências.


 


Destaco que o enfermeiro Felipe já era integrante do SAMU antes mesmo de eu assumir a Secretaria de Saúde deste município. Esse profissional foi convidado a integrar aquela unidade em razão de sua alta qualificação profissional e sua vasta experiência na prestação de seus serviços em diversas localidades de nossa região, como por exemplo: Jeremoabo, Postos de Saúde do Arrastapé e São José e, nesta cidade de Paulo Afonso, onde, sempre foi reconhecido pela sua qualificação e profissionalismo.


 


 


 


Houve muitas especulações em torno desse assunto. Como era o trabalho de Felipe e qual a relação dele com o Recife? O que fazia lá? E isso atrapalhava os plantões no SAMU?




A ex-secretária municipal de saúde de Paulo Afonso, Andrea Bathomarco concedeu na tarde deste domingo (06/02), uma entrevista exclusiva ao Portal OzildoAlves e ao Programa Tribuna do Povo, da Rádio Betel FM. Andrea foi a dona da pasta da saúde durante 1 ano, no período de janeiro a dezembro de 2010. A enfermeira era uma das pessoas de confiança do Prefeito Anilton Bastos (DEM). Ela vestiu a camisa do grupo político liderado pelo ex-deputado Luiz de Deus e encabeçou a vitoriosa campanha eleitoral de 2008, que conduziu Anilton ao paço municipal.


 


Mesmo magoada pela forma com que ocorreu a sua saída e pela omissão do prefeito – em momento algum Anilton a procurou para ao menos ouvir a sua versão – as declarações de Andrea foram prudentes, ela agiu mais pela razão do que pela emoção. Porém, foi dura ao responder as insinuações de Luiz Aureliano, que em entrevista nesse mesmo portal, deixou a entender que Andrea protegia o noivo – o enfermeiro Felipe – ex-SAMU. Aureliano demitiu Felipe, Andrea não aceitou e também deixou a prefeitura.


 


A ex-secretária disse ainda que ficou surpresa com a declaração do prefeito Anilton, que ao voltar de férias elogiou as ações iniciais de Luiz Aureliano. A enfermeira também falou sobre a grave denúnica do secretário, quando afirmou que nos últimos meses havia médico trabalhando pela prefeitura sem atender nenhum paciente. Veja:


 


Andréa, você se surpreendeu quando soube que o prefeito Anilton Bastos iria lhe substituir por Luiz Aureliano na Secretaria de Saúde?


 


R: Não me surpreendi tendo em vista que pela própria natureza do cargo – livre nomeação e exoneração – isso poderia acontecer a qualquer momento. Isso é escolha do prefeito e ele deve colocar aquele que achar conveniente.


 


Entendo que, por questões de conveniências políticas haja, eventualmente, mudanças no secretariado. Isso, inclusive, tem sido o padrão nos mais diversos setores do Executivo Nacional. Só lamentei pela maneira como essa questão foi tratada.


 


Você e o prefeito sempre diziam que a saúde estava bem, então, em sua opinião, quais os motivos de sua exoneração?


 


R: Durante a minha gestão, eu e minha equipe conseguimos muitas conquistas, vários avanços. No entanto, a demanda por serviços de saúde é muito acentuada no nosso município. Tive sempre o desejo de avançar, diminuir as distorções encontradas entre os setores públicos e privados e está cada vez mais presente no atendimento as necessidades de saúde pública da população. E, enquanto isso acontecer nos nossos sistemas de saúde podemos dizer que “vai bem” porque há um crescimento, uma evolução na rede de atendimento e da qualificação desses serviços.


 


Após a entrada de Aureliano, muita coisa aconteceu, várias demissões de pessoas de confiança de Anilton. Você foi remanejada para dirigir o HMPA e quando uma pessoa querida sua, seu noivo, o enfermeiro Felipe foi demitido por Aureliano, você também resolve sair. O que aconteceu?


 


R: Como já relatei, a mudança no secretariado acontece. É previsível. Qualquer profissional que se comprometa em assumir uma secretaria ou qualquer outro cargo de gestão sabe disso. No entanto, as transições devem ocorrer de maneira urbana, respeitosa, não só com esses profissionais, mas para com a Administração Pública.


Não desejo fazer parte de qualquer equipe que não impere o respeito e comprometimento com os princípios da administração pública. 


 


Aureliano insinuou na entrevista que era ele – Felipe – quem escolhia o dia de dar plantão no SAMU, isso acontecia?


 


R: Declarar que aquele profissional era favorecido ou era ele quem escolhia, é, no mínimo, um desrespeito não só a mim e a ele, mas a todos aqueles coordenadores que participam da gestão daquela unidade.


 


Esta escala era elaborada unicamente pelos coordenadores daquela unidade estabelecendo um determinado número de plantões aos profissionais que ali trabalhavam, e, seus coordenadores nunca se sujeitaram a quaisquer interferências.


 


Destaco que o enfermeiro Felipe já era integrante do SAMU antes mesmo de eu assumir a Secretaria de Saúde deste município. Esse profissional foi convidado a integrar aquela unidade em razão de sua alta qualificação profissional e sua vasta experiência na prestação de seus serviços em diversas localidades de nossa região, como por exemplo: Jeremoabo, Postos de Saúde do Arrastapé e São José e, nesta cidade de Paulo Afonso, onde, sempre foi reconhecido pela sua qualificação e profissionalismo.


 


 


 


Houve muitas especulações em torno desse assunto. Como era o trabalho de Felipe e qual a relação dele com o Recife? O que fazia lá? E isso atrapalhava os plantões no SAMU?




A ex-secretária municipal de saúde de Paulo Afonso, Andrea Bathomarco concedeu na tarde deste domingo (06/02), uma entrevista exclusiva ao Portal OzildoAlves e ao Programa Tribuna do Povo, da Rádio Betel FM. Andrea foi a dona da pasta da saúde durante 1 ano, no período de janeiro a dezembro de 2010. A enfermeira era uma das pessoas de confiança do Prefeito Anilton Bastos (DEM). Ela vestiu a camisa do grupo político liderado pelo ex-deputado Luiz de Deus e encabeçou a vitoriosa campanha eleitoral de 2008, que conduziu Anilton ao paço municipal.


 


Mesmo magoada pela forma com que ocorreu a sua saída e pela omissão do prefeito – em momento algum Anilton a procurou para ao menos ouvir a sua versão – as declarações de Andrea foram prudentes, ela agiu mais pela razão do que pela emoção. Porém, foi dura ao responder as insinuações de Luiz Aureliano, que em entrevista nesse mesmo portal, deixou a entender que Andrea protegia o noivo – o enfermeiro Felipe – ex-SAMU. Aureliano demitiu Felipe, Andrea não aceitou e também deixou a prefeitura.


 


A ex-secretária disse ainda que ficou surpresa com a declaração do prefeito Anilton, que ao voltar de férias elogiou as ações iniciais de Luiz Aureliano. A enfermeira também falou sobre a grave denúnica do secretário, quando afirmou que nos últimos meses havia médico trabalhando pela prefeitura sem atender nenhum paciente. Veja:


 


Andréa, você se surpreendeu quando soube que o prefeito Anilton Bastos iria lhe substituir por Luiz Aureliano na Secretaria de Saúde?


 


R: Não me surpreendi tendo em vista que pela própria natureza do cargo – livre nomeação e exoneração – isso poderia acontecer a qualquer momento. Isso é escolha do prefeito e ele deve colocar aquele que achar conveniente.


 


Entendo que, por questões de conveniências políticas haja, eventualmente, mudanças no secretariado. Isso, inclusive, tem sido o padrão nos mais diversos setores do Executivo Nacional. Só lamentei pela maneira como essa questão foi tratada.


 


Você e o prefeito sempre diziam que a saúde estava bem, então, em sua opinião, quais os motivos de sua exoneração?


 


R: Durante a minha gestão, eu e minha equipe conseguimos muitas conquistas, vários avanços. No entanto, a demanda por serviços de saúde é muito acentuada no nosso município. Tive sempre o desejo de avançar, diminuir as distorções encontradas entre os setores públicos e privados e está cada vez mais presente no atendimento as necessidades de saúde pública da população. E, enquanto isso acontecer nos nossos sistemas de saúde podemos dizer que “vai bem” porque há um crescimento, uma evolução na rede de atendimento e da qualificação desses serviços.


 


Após a entrada de Aureliano, muita coisa aconteceu, várias demissões de pessoas de confiança de Anilton. Você foi remanejada para dirigir o HMPA e quando uma pessoa querida sua, seu noivo, o enfermeiro Felipe foi demitido por Aureliano, você também resolve sair. O que aconteceu?


 


R: Como já relatei, a mudança no secretariado acontece. É previsível. Qualquer profissional que se comprometa em assumir uma secretaria ou qualquer outro cargo de gestão sabe disso. No entanto, as transições devem ocorrer de maneira urbana, respeitosa, não só com esses profissionais, mas para com a Administração Pública.


Não desejo fazer parte de qualquer equipe que não impere o respeito e comprometimento com os princípios da administração pública. 


 


Aureliano insinuou na entrevista que era ele – Felipe – quem escolhia o dia de dar plantão no SAMU, isso acontecia?


 


R: Declarar que aquele profissional era favorecido ou era ele quem escolhia, é, no mínimo, um desrespeito não só a mim e a ele, mas a todos aqueles coordenadores que participam da gestão daquela unidade.


 


Esta escala era elaborada unicamente pelos coordenadores daquela unidade estabelecendo um determinado número de plantões aos profissionais que ali trabalhavam, e, seus coordenadores nunca se sujeitaram a quaisquer interferências.


 


Destaco que o enfermeiro Felipe já era integrante do SAMU antes mesmo de eu assumir a Secretaria de Saúde deste município. Esse profissional foi convidado a integrar aquela unidade em razão de sua alta qualificação profissional e sua vasta experiência na prestação de seus serviços em diversas localidades de nossa região, como por exemplo: Jeremoabo, Postos de Saúde do Arrastapé e São José e, nesta cidade de Paulo Afonso, onde, sempre foi reconhecido pela sua qualificação e profissionalismo.


 


 


 


Houve muitas especulações em torno desse assunto. Como era o trabalho de Felipe e qual a relação dele com o Recife? O que fazia lá? E isso atrapalhava os plantões no SAMU?




A ex-secretária municipal de saúde de Paulo Afonso, Andrea Bathomarco concedeu na tarde deste domingo (06/02), uma entrevista exclusiva ao Portal OzildoAlves e ao Programa Tribuna do Povo, da Rádio Betel FM. Andrea foi a dona da pasta da saúde durante 1 ano, no período de janeiro a dezembro de 2010. A enfermeira era uma das pessoas de confiança do Prefeito Anilton Bastos (DEM). Ela vestiu a camisa do grupo político liderado pelo ex-deputado Luiz de Deus e encabeçou a vitoriosa campanha eleitoral de 2008, que conduziu Anilton ao paço municipal.


 


Mesmo magoada pela forma com que ocorreu a sua saída e pela omissão do prefeito – em momento algum Anilton a procurou para ao menos ouvir a sua versão – as declarações de Andrea foram prudentes, ela agiu mais pela razão do que pela emoção. Porém, foi dura ao responder as insinuações de Luiz Aureliano, que em entrevista nesse mesmo portal, deixou a entender que Andrea protegia o noivo – o enfermeiro Felipe – ex-SAMU. Aureliano demitiu Felipe, Andrea não aceitou e também deixou a prefeitura.


 


A ex-secretária disse ainda que ficou surpresa com a declaração do prefeito Anilton, que ao voltar de férias elogiou as ações iniciais de Luiz Aureliano. A enfermeira também falou sobre a grave denúnica do secretário, quando afirmou que nos últimos meses havia médico trabalhando pela prefeitura sem atender nenhum paciente. Veja:


 


Andréa, você se surpreendeu quando soube que o prefeito Anilton Bastos iria lhe substituir por Luiz Aureliano na Secretaria de Saúde?


 


R: Não m

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.