Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Nota de esclarecimento


 


Com relação à matéria veiculada neste site com título “Pesquisa da ANP revela: postos de combustíveis de Paulo Afonso não apresentam nota fiscal. Temos a esclarecer o seguinte.


1.     Recebemos e-mail de um preposto de um estabelecimento comercial do ramo de combustíveis que, ao tempo em que solicita esclarecimento sobre a matéria , diz não ser  a mesma condizente com a verdade o que noticiamos, diz ainda que este site deveria checar as informações. Imediatamente enviamos e-mail ao referido senhor, informando que a notícia foi gerada a partir de informações do órgão oficial de controle de combustíveis, a ANP – Agência Nacional de Petróleo, que realiza auditoria de serviços, fiscaliza os estabelecimentos, verifica qualidade dos produtos e  monitora preços,  e disponibiliza as informações para os cidadãos em seu portal.  Portanto ele sabe ser a fonte  verdadeira e que a matéria é condizente com essa fonte oficial. Não nos cabe checar junto à ANP a notícia publicada se é  atribuição dela fazer isso. A notícia esta lá para quem quiser ver.


 


2.     Hoje, dia 20, nos defrontamos com uma nota de esclarecimento feita ao site www.ozildoalves.com.br , onde um proprietário de um determinado posto que ( o qual  não se identifica)  entre outras colocações, diz que “a referida matéria não condiz com a realidade.”, que o caso  relatado acontece também em outras cidades, e que a pessoa responsável pela coleta das informações, preposto da ANP, não comparece  faz um mês  para fazer o levantamento.  E complementando afirma “ Fácil é crucificar donos de postos por praticarem certos preços, onde os mesmos não fazem  nada a não ser repassarem aumentos feitos pelas distribuidoras, devido as constantes e excessivas cargas tributarias sobre os combustíveis” e apresenta a justificativa dos aumentos com os percentuais praticados  na Bahia, além de mostrar  matérias de jornais de circulação estadual para comprovar que os preços praticados em Paulo Afonso condizem com a realidade do mercado.


 


 


3.     Muito bom e interessante  o referido proprietário apresentar suas justificativas quanto aos aumentos abusivos e sucessivos que o consumidor tem que aturar. Se o dono do posto paga muitos impostos, o consumidor é  quem termina por bancar esses abusos, porque quem vende não fica no prejuízo, repassa  todos os custos para quem compra: o consumidor final.  É importante também ser esclarecido  que o Indicador da Cidade também se posiciona contrário à alta carga tributária, que onera os custos e diminui a capacidade de se gerar emprego e renda para a população.  Mas o site de forma alguma, quando postou a matéria  quis “crucificar os donos de postos por praticarem certos pr�de faltAC�� ��

Nota de esclarecimento


 


Com relação à matéria veiculada neste site com título “Pesquisa da ANP revela: postos de combustíveis de Paulo Afonso não apresentam nota fiscal. Temos a esclarecer o seguinte.


1.     Recebemos e-mail de um preposto de um estabelecimento comercial do ramo de combustíveis que, ao tempo em que solicita esclarecimento sobre a matéria , diz não ser  a mesma condizente com a verdade o que noticiamos, diz ainda que este site deveria checar as informações. Imediatamente enviamos e-mail ao referido senhor, informando que a notícia foi gerada a partir de informações do órgão oficial de controle de combustíveis, a ANP – Agência Nacional de Petróleo, que realiza auditoria de serviços, fiscaliza os estabelecimentos, verifica qualidade dos produtos e  monitora preços,  e disponibiliza as informações para os cidadãos em seu portal.  Portanto ele sabe ser a fonte  verdadeira e que a matéria é condizente com essa fonte oficial. Não nos cabe checar junto à ANP a notícia publicada se é  atribuição dela fazer isso. A notícia esta lá para quem quiser ver.


 


2.     Hoje, dia 20, nos defrontamos com uma nota de esclarecimento feita ao site www.ozildoalves.com.br , onde um proprietário de um determinado posto que ( o qual  não se identifica)  entre outras colocações, diz que “a referida matéria não condiz com a realidade.”, que o caso  relatado acontece também em outras cidades, e que a pessoa responsável pela coleta das informações, preposto da ANP, não comparece  faz um mês  para fazer o levantamento.  E complementando afirma “ Fácil é crucificar donos de postos por praticarem certos preços, onde os mesmos não fazem  nada a não ser repassarem aumentos feitos pelas distribuidoras, devido as constantes e excessivas cargas tributarias sobre os combustíveis” e apresenta a justificativa dos aumentos com os percentuais praticados  na Bahia, além de mostrar  matérias de jornais de circulação estadual para comprovar que os preços praticados em Paulo Afonso condizem com a realidade do mercado.


 


 


3.     Muito bom e interessante  o referido proprietário apresentar suas justificativas quanto aos aumentos abusivos e sucessivos que o consumidor tem que aturar. Se o dono do posto paga muitos impostos, o consumidor é  quem termina por bancar esses abusos, porque quem vende não fica no prejuízo, repassa  todos os custos para quem compra: o consumidor final.  É importante também ser esclarecido  que o Indicador da Cidade também se posiciona contrário à alta carga tributária, que onera os custos e diminui a capacidade de se gerar emprego e renda para a população.  Mas o site de forma alguma, quando postou a matéria  quis “crucificar os donos de postos por praticarem certos pr�de faltAC�� ��

Nota de esclarecimento


 


Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.