Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermercados Oliveira e Sendas, do BTN.


 


Para cada produto indicado no levantamento, buscou-se coletar os preços de duas marcas, com a mesma unidade de medida e tipo de embalagem. A partir desse levantamento, para efeito de comparação de preços  e verificação do custo praticado por cada supermercado em cada um dos sete segmentos, foram  consolidados os dados em uma única tabela com a indicação dos preços mais baratos praticados pelos supermercados, independente da marca, mas com o cuidado de preservar a unidade de medida e características de embalagem. Considerando que nem todos os produtos relacionados foram encontrados nos estabelecimentos na data da pesquisa, adotou-se em alguns momentos, a média aritmética como critério de análise. Tal norma visou preencher vazios por falta de um determinado produto e fechar toda a lista e também  ampliar o número de estabelecimentos possíveis de comparação, e dessa forma verificar o custo dos produtos por segmento  em cada estabelecimento comercial pesquisado.


 


Com a pesquisa de preços de supermercados indicadordacidade®  se constatou  algumas situações que merecem ser motivos de observação e ação dos proprietários dos estabelecimentos, tanto para que ofereçam um bom serviço ao consumidor como também para desenvolver a atividade comercial na cidade. A primeira constatação é que nem sempre os supermercados mais sortidos e melhor instalados significam preços mais baixos. Os melhores preços, pelo menos no momento da pesquisa, estão nos supermercados menos badalados e localizados na periferia do centro comercial.


 


A segunda é que alguns supermercados não possuem instalações físicas adequadas ao desenvolvimento da atividade comercial. Além de instalações apertadas e sem ventilação, alguns supermercados carecem de distribuição adequada das gôndolas, de sinalização visível dos produtos e dos preços dos produtos, de disposição adequada dos produtos, com a separação do que é produto químico  e o que é alimento.


 


Pode se afirmar ainda que em alguns estabelecimentos faltam carrinhos de compra ou quando eles existem estão em condições precárias de uso. É importante mencionar que em um dos supermercados visitados, os carrinhos ocupam a via pública, impedindo a passagem dos transeuntes e obviamente dos clientes. Uma clara confusão dos conceitos do que é público e privado.  Outro ponto verificado é que em dois estabelecimentos comerciais a emissão de nota fiscal não é a regra, é exceção. Para que se obtenha esse documento se faz necessário se destinar a um caixa específico, quando a lei obriga a emissão automática  e imediata do cupom fiscal. Uma irregularidade tributária grave porque causa prejuízos ao erário estadual e, por conseguinte ao município, que tem seu índice de ICMS diminuído, e ao consumidor final que fica sem a comprovação da compra.


 


Os supermercados mais sortidos


<�5Š���áÌ�� ��

Por José Renato Melo     


 


                Ao almejar a compra de qualquer produto ou serviço,  a primeira recomendação é verificar a real necessidade da aquisição,  e depois   pesquisar os preços do que se quer adquirir para avaliar a relação custo benéfico e.,  por conseguinte, se o preço é compatível com a qualidade do que foi ou é  comprado. Quando se fala principalmente em comprar alimentos, essa regra é de ouro. Alimento é de primeira necessidade e está claro o benefício, mas é necessário avaliar o seu custo. Quando existe quantidade expressiva de estabelecimentos comerciais na cidade, como é o caso de Paulo Afonso, à disposição do consumidor, cada um com sua política de preços e com sua diversidade de produtos é de suma importância que se procure os melhores preços, pois existem.


 


O indicadordacidade® objetivando monitorar os preços de gêneros alimentícios e de outros produtos e serviços e bem informar aos consumidores pauloafonsinos, realizou esta primeira pesquisa de preços de supermercados de Paulo Afonso nos dias 29 e 30 de dezembro de 2010. Este levantamento, a primeira de uma serie, foi feita com 114 produtos  e segmentada em sete categorias, a)hortifrutigranjeiros, b) carnes,aves e peixes, c) laticínios, d)mercearia, e)material de limpeza e higiene, f) bebidas e refrigerantes e g) biscoitos e massas –  e realizada junto a nove supermercados da cidade, o Hiper G. Barbosa, o Hiper Braga, o Suprave, o Bom Preço da Landulfo Alves, o Atacadão DM, o Santa Luzia e o Ramos na sede do município,  e os supermerc

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.