Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

O governador Eduardo Campos (PSB) deu ontem uma demonstração clara de que o PSB não está disposto a perder o comando da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). ´Não se cogita de Pernambuco perder a Chesf. Não existe essa possibilidade`, afirmou. A administração da empresa está nas mãos do PSB há oito anos, durante todo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A mudança passou a ser especulada depois que o senador Edison Lobão (PMDB/MA) assumiu o Ministério de Minas Energia, que tem o controle da estatal.


 
Eduardo, no entanto, foi cauteloso ao lembrar que a decisão sobre escolha do novo diretor-presidente da Chesf será da presidente Dilma Rousseff (PT). ´Quando ela achar que deve mudar vai chamar o ministro das Minas e Energia e vai proceder as mudanças. Só ela sabe os critérios. Nós não tratamos desse assunto`. Hoje, o cargo é ocupado por Dilton da Conti.


 


Apesar disso, o governador destacou que a presidente sabe a forma como o PSB costumaconduzir a participação do partido no governo federal. ´Vou manter essa forma de tratar as coisas. Tenho confiança de que ela (Dilma) na hora que achar que deve falar conosco vai telefonar e eu vou lá (em Brasília). Não vai tem problema`.


 


O socialista descartou a possibilidade do secretário de Recursos Hídricos, João Bosco de Almeida, ser chamado para assumir o cargo. ´Bosco é um grande quadro do setor elétrico, que foi resgatado para o setor de engenharia do saneamento. Hoje, tem o respeito do governo e da sociedade. Mas não estamos cogitando essa possibilidade`. Eduardo disse, ainda, ter ouvido da presidente Dilma elogios à atuação do secretário.


 


Parceria


 


Ontem, Eduardo Campos visitou obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Compesa, em Moreno. Ele aproveitou para anunciar que irá lançar, ainda este ano, um programa de Parceria Público-Privada (PPP) para promover a universalização do saneamento básico no estado. ´Será um grande programa para os próximos 12 anos`, declarou. Os contratos com a iniciativa privada serão firmados através de processo licitatório. A previsão é que o edital da PPP seja lançado em julho. As empresas que vencerem o leilão público se comprometem a administrar as estações de saneamento já existentes e a investir, no prazo máximo de 12 anos, R$ 3,5 bilhões em obras de saneamento.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.