Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

RIO – Em meio à dor pelas mortes e às perdas causadas pelas chuvas, surgem exemplos de solidariedade de pessoas anônimas e de profissionais das equipes de resgate, que arriscaram suas vidas para ajudar a salvar desconhecidos.


Um dos casos mais emocionantes aconteceu em São José do Vale do Rio Preto, onde a dona de casa Ilair Pereira de Souza, de 53 anos, foi resgatada pelo vizinho Daniel Lopes com a ajuda de uma corda. Abrigada na casa do irmão com dois cachorros, ela precisou deixar o local depois que as águas invadiram a residência, e se agarrou, junto com um dos cães, de nome Beethoven, à corda lançada por vizinhos. Ao içar Ilair, o herói Daniel acabou ferindo os pés.


Graças ao esforço coletivo dos moradores, dona Ilair foi erguida para o alto de um prédio – uma altura de 10 metros -, mas o cãozinho foi levado pela correnteza. O animal ainda tentou se agarrar ao braço de Ilair com os dentes. As imagens do resgate dramático chegaram a ser exibidas pela rede de TV americana CNN. Veja o vídeo:


 



 


– Eu pedi a eles que me salvassem. Eu não podia morrer. Tenho filhos pra criar. Aí um menininho falou para eles jogarem uma corda, e eles jogaram. Mas, como eu consegui subir nela, só Deus sabe – disse muito emocionada Ilair, em frente à sua antiga casa, destruída pela enchente. – Nunca tinha feito um nó em corda na minha vida. Quando jogaram a corda, me amarrei rapidinho, nem sei como fiz aquele nó. Estava com tanto medo que o nó fosse fraco que me agarrei como nunca na corda.



Tristeza por perda de cão


Dona Ilair lamentou a perda de seu cachorrinho:


– Coitadinho. Ele ficou me olhando com aquele olhinho triste e se foi naquela água.


Junto com outros 15 vizinhos, dona Ilair precisou novamente de ajuda para sair so prédio. O grupo foi retirado do local pelo comerciante Rogério Chaves Pereira, 53 anos, com a ajuda de um barco.


O esforço dos bombeiros nas diversas cidades da Região Serrana resultou em vidas preservadas, como a do pequeno Nicolas, de 6 meses, resgatado dos escombros na quarta-feira à noite, em Friburgo, sem um único arranhão e vestindo apenas uma blusa. A criança passou cerca de 15 horas abraçada ao pai, Wellington da Silva Guimarães, de 25 anos, que também foi resgatado e passa bem. Houve muita comoção entre a equipe de resgate quando a criança foi finalmente retirada.


O trabalho para salvar os dois durou cerca de quatro horas e contou com profissionais que trabalharam no deslizamento ocorrido no Morro do Bumba, em Niterói, nas chuvas que castigaram o Rio e a Região Metropolitana em abril do ano passado, e no terremoto que devastou o Haiti, também no ano passado. A mãe e a avó materna de Nicolas continuavam desaparecidas até a noite de quinta.


– Tiramos a criança de um buraco, soterrada – contou um dos bombeiros que participaram do resgate.


O bombeiro Marcos Antônio Verly da Conceição, de 43 anos, perdeu a vida no deslizamento na Praça do Sossego, no Centro de Friburgo, que soterrou um veículo da corporação. Emprestado ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) desde 2000 e lotado no Parque Estadual dos Três Picos, ele voluntariamente saiu na terça-feira pela manhã para dar apoio à Defesa Civil.



– Conceição era considerado um funcionário exemplar, excepcional nas ações de fiscalização, que é o que ele mais gostava de fazer – diz o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Inea, André Ilha.


Outro bombeiro vitimado no deslizamento em Friburgo é Vitor Lembo, cujo corpo foi encontrado na manhã de quinta. Ele também trabalhava no Centro da cidade quando foi soterrado com mais dois colegas. Seu corpo foi retirado dos escombros sob lágrimas e aplausos. Familiares de Lembo; colegas de trabalho, como o coronel Suarez, diretor-geral de Saúde do Corpo de Bombeiros; e um outro agente vítima do mesmo desabamento, que conseguiu ser resgatado com vida, choravam muito no momento da retirada do corpo.


O diretor frisou que junto a Conceição e a Lembo estavam outros 30 homens, todo o efetivo do Parque dos Três Picos, e dez oficiais da Reserva Biológica de Araras, em Petrópolis:


– Todos ficaram desde as primeiras horas de quarta-feira trabalhando em apoio às Defesas Civis de Petrópolis, Teresópolis e Friburgo. Ontem (quinta) cedo mandamos mais 50 homens lotados em outras unidades de conservação para se juntarem aos 40 primeiros.


A imprensa também teve seus heróis. Em Teresópolis, com o auxílio de um helicóptero, uma equipe da TV Globo socorreu uma das vítimas da chuva. Tainá Medeiros, de 15 anos, grávida de oito meses, foi levada em trabalho de parto para um hospital. Ela teve seu primeiro filho, o menino Marcos André.


 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.