Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Por Jacques Fernandes – [email protected]


O que as pessoas não esperavam aconteceu: passamos o Natal sem os serviços de telefonia da TIM e OI. Todos diziam pelos cantos que as operadoras não deixariam as pessoas passarem uma data tão especial sem comunicação.


Vivemos um episódio de desrespeito total ao consumidor. Já se vão mais de cinco dias onde ninguém consegue fazer e receber uma ligação. Alguém viu uma das operadoras em público se retratar sobre a questão? Algum tipo de comunicado e nota de esclarecimento foi publicada nos principais veículos de comunicação do estado? Não meus amigos, a resposta é não.


Quando uma empresa séria comete alguma falha em seu serviço, logo vemos um comunicado nos intervalos do Jornal Nacional ou coisa parecida. Neste caso da pane das teles na Bahia não, nos trataram como um grande bando de “zé ninguém”.


Até agora me pergunto: a OI pegou fogo (o que também não justifica, pois a empresa tem que ter um plano “B”) e a TIM? Pegou gripe?


Estamos até hoje sofrendo as consequências com um serviço péssimo, e sem previsão de retorno. Seremos indenizados por isso pelas teles? Alguém falou em ressarcir? Também não. Agora, tente pagar sua fatura com pelo menos 1 dia de atraso e veja se na próxima vem ou não a cobrança de juros? Existe alguma dúvida?


E os transtornos não ficam só no mérito da TIM e da OI, pois na noite de Natal, num horário onde várias famílias estavam fazendo os últimos ajustes na mesa da ceia e preparando-se para a tão tradicional missa, a Coelba nos presenteia com quatro quedas seguidas de energia, uma atrás da outra, parando freezers, queimando lâmpadas (inclusive o pisca-pisca da árvore de Natal). Eu imaginei: meu Deus, os serviços de telefonia e energia só podem estar pirados.


É meus amigos, a coisa anda muito séria no que diz respeito a direitos do consumidor em Paulo Afonso. Agora tenham certeza que boa parte destes absurdos acontece porque estamos no Nordeste.  Se ocorresse uma pane da telefonia como esta lá no sul e sudeste (como já houve algumas vezes) a população responde imediatamente. Na última pane da Telefônica, a operadora perdeu quase que 70% dos seus clientes para o serviço Speedy.


E nós? Ficamos presos á promoção dos 25 centavos da TIM? Ou ás tarifas baixas e promoções da OI? E no final ainda somos tratados como se tivéssemos a obrigação de aceitar os desmandes das empresas. Ficamos sem escolhas, sem alternativas, e tratados como verdadeiros tupiniquins, atrasados e sem conhecimento.


Vamos reagir, vamos cobrar, entremos com ações públicas, reclamemos nos serviços de call centers, vamos á promotoria pública, mostremos que estas empresas não podem nos tratar como tupiniquins atrasados.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.