Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print


Em sessão ordinária do dia 09 de novembro, por  5 x 3 votos, a Câmara rejeitou o projeto de Lei 018/2010 (Estima a receita e fixa a despesa para o exercício financeiro 2011 e dá outras providências)


 


Contra o projeto votaram os vereadores: Dione Laertison, Sandra Gomes, Paulo Daltro, Cleomar Diomédio e José Aparecido (Cidinho). Apenas os Vereadores: Manoel Francisco, José Arnaldo (Dé) e Moisés Bezerra votaram a favor, visto que o voto do Presidente só se faz necessário caso haja empate.


 


Essa situação trás um desconforto irreparável a atual administração Municipal pois completamente sem orçamento, os cidadãos que deveriam ficar sabendo o que e quanto está sendo gasto e se este gasto estariam dentro ou fora dos limites legais, tornar-se-á  difícil obter respostas ao cumprimento deste, uma vez que não existe orçamento.


 


O que é Orçamento Publico ?


É o cálculo da RECEITA e da DESPESA do município. Ou seja, tudo o que a Prefeitura arrecada e gasta durante o ano. A Prefeitura elabora o ORÇAMENTO, e o envia para a aprovação na Câmara de Vereadores. ORÇAMENTO É ISSO: VER QUANTO SE TEM DE DINHEIRO E PLANEJAR AS DESPESAS


 


Cabe aos vereadores estudar, discutir e votar o orçamento até o final do ano, assim como fiscalizar sua realização no ano seguinte. Desta forma, Prefeitura, população e Câmara Municipal, juntos, construirão uma cidade melhor, planejando o futuro desejado


 


Contudo, embora a Constituição Federal de 1988 prevê a possibilidade do Poder Legislativo rejeitar integralmente as dotações de despesas propostas no projeto de LOA (Lei Orçamentária Anual), é necessário observar que esse procedimento deve ser adotado com bastante cautela, pois a rejeição total da despesa prevista no projeto de LOA causa sérios problemas à Administração Municipal, visto que ela fica impedida de realizar despesas por falta de créditos orçamentários, o que, por conseguinte, poderá comprometer a continuidade dos serviços públicos e ainda gerar graves conseqüências, causando irreparável lesão à ordem pública, uma vez que o gestor terá que adiar despesas consideradas essenciais para a manutenção das ações governamentais


 


Ressalta-se que a rejeição total das dotações das despesas previstas no projeto de LOA afeta também o orçamento do Poder Legislativo, o qual também fica impedido de realizar despesas, pois ele também não terá orçamento para executar.


 


Segundo o Presidente da Câmara, tal procedimento irá prejudicar o governo em 2011 e a população, devendo os vereadores que votaram pela rejeição prestar esclarecimentos públicos sobre esta atitude.


 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.