Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

NOTA PÚBLICA


 


A APLB / Sindicato – Delegacia Hidroelétrica de Paulo Afonso que possui atuação sindical em Chorrochó, Glória, Macururé, Rodelas e Santa Brígida, vem esclarecer a população de Macururé que o sindicato não tem o poder de proibir o funcionamento do transporte escolar de nenhum município. A função do sindicato é reivindicar dos(as) prefeitos(as) da região que todas as leis da educação sejam cumpridas. Por isso, diante da vergonhosa situação do transporte escolar de Macururé, solicitamos que o Ministério Público verificasse as condições dos veículos que conduzem os alunos para as escolas. Salientamos que nosso objetivo é, exclusivamente, garantir a segurança das crianças e adolescentes do município de Macururé.


 


PARE, LEIA E PENSE:


 


CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO


Lei 9.503 de 23 de setembro de 1997


 


CAPÍTULO XIII


DA CONDUÇÃO DE ESCOLARES


 


Art. 136. Os veículos especialmente destinados à condução coletiva de escolares somente poderão circular nas vias com autorização emitida pelo órgão ou entidade executivos de trânsito dos Estados e do Distrito Federal, exigindo-se, para tanto:


 


I – registro como veículo de passageiros;


II – inspeção semestral para verificação dos equipamentos obrigatórios e de segurança;


III – pintura de faixa horizontal na cor amarela, com quarenta centímetros de largura, à meia altura, em toda a extensão das partes laterais e traseira da carroçaria, com o dístico ESCOLAR, em preto, sendo que, em caso de veículo de carroçaria pintada na cor amarela, as cores aqui indicadas devem ser invertidas;


IV – equipamento registrador instantâneo inalterável de velocidade e tempo;


V – lanternas de luz branca, fosca ou amarela dispostas nas extremidades da parte superior dianteira e lanternas de luz vermelha dispostas na extremidade superior da parte traseira;


VI – cintos de segurança em número igual à lotação;


VII – outros requisitos e equipamentos obrigatórios estabelecidos pelo CONTRAN.


 


Art. 137. A autorização a que se refere o artigo anterior deverá ser afixada na parte interna do veículo, em local visível, com inscrição da lotação permitida, sendo vedada a condução de escolares em número superior à capacidade estabelecida pelo fabricante.


 


Art. 138. O condutor de veículo destinado à condução de escolares deve satisfazer os seguintes requisitos:


 


I – ter idade superior a vinte e um anos;


II – ser habilitado na categoria D;


III – (VETADO)


IV – não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima, ou ser reincidente em infrações médias durante os doze últimos meses;


V – ser aprovado em curso especializado, nos termos da regulamentação do CONTRAN.


 


Art. 139. O disposto neste Capítulo não exclui a competência municipal de aplicar as exigências previstas em seus regulamentos, para o transporte de escolares.


 











 


Somente os municípios de Glória e Santa Brígida praticaram o reajuste salarial de 7,5% e 7,7% respectivamente, cumpriram a database, os demais municípios não cumpriram e nem reajustaram o


salário dos Profissionais da Educação.


 


 


APLB / SINDICATO – DELEGACIA HIDROELÉTRICA DE PAULO AFONSO


Data: 16/11/2010


 


 


Fonte: APLB Sindicato Delegacia Hidroelétrica de Paulo Afonso

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.