Por

[email protected] (www.pa4.com.br)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

A FPI (Fiscalização Preventiva Integrada) é composta por 12 frentes de trabalho divididas em temas específicos, sendo a Equipe Fauna uma delas. Esse grupo é composto pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e por uma equipe de 11 biólogos e veterinários das ONGs Animallia e ECO, do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (CEMAFAUNA) e do Conselho Estadual do Meio Ambiente (CEMA).

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

Nesta primeira semana de FPI, já foram resgatados um total de 1014 animais, na maioria aves da fauna nativa brasileira. Os exemplares retirados dos cativeiros são levados para o Fórum antigo da cidade de Paulo Afonso, onde são triados e tratados por biólogos e veterinários. Aqueles que têm condições de serem reinseridos na natureza são imediatamente soltos em seus habitats. Os demais recebem alimentação adequada e medicamentos para que, assim que reúnam as condições necessárias, voltem à natureza.

 

A PRF participa, desde o último dia 18, da FPI, ação que chega à sua 39ª edição realizando trabalhos em diversas frentes que visam à preservação do Rio São Francisco e o desenvolvimento das comunidades que dependem direta ou indiretamente do Velho Chico.

 

15134533_1353327804691642_8123853813832837763_n
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

A FPI é um projeto de iniciativa e coordenação do Ministério Público Estadual e Federal e do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Criada em 2002, a FPI acontece pela primeira vez em três estados simultaneamente. A megaoperação conta com 400 profissionais de 56 instituições, entre órgãos públicos e membros da sociedade civil.

 

A abertura oficial desta edição aconteceu no dia 20, em Belém do São Francisco/SE, mas a Polícia Rodoviária Federal iniciou os trabalhos já no dia 18, em Paulo Afonso. A PRF, juntamente com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), realizou a fiscalização na Feira Grande da cidade. Na ocasião, foram lavrados quatro Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), sendo dois para ambulantes que vendiam aves da fauna nativa (caboclinho e azulão) e um para um estabelecimento que tinha registro para expor à venda animais exóticos, mas oferecia também cardeais, azulões, curiós, papa capins e sabiás Coca.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

O quarto TCO do dia foi lavrado para um homem que circulava nas imediações da feira com 28 peles de veados em seu veículo. Ele inicialmente tentou confundir os agentes alegando serem peles de carneiro, mas o crime foi constatado após análise do material. Ao final do primeiro dia de fiscalização, 51 animais foram resgatados.

 

Jeremoabo

 

No segundo dia de fiscalização, as equipes da PRF e do IBAMA percorreram a feira livre de Jeremoabo/BA. Foram resgatados 27 pássaros silvestres em poder de criadores. Ao observar um homem transitando pelas ruas com uma alçapão, as equipes o abordaram e o acompanharam até a sua residência, onde foram encontrados os animais. Alguns vizinhos também mantinham os animais em gaiolas. Todos os entregaram de forma voluntária.

 

Santa Brígida

 

No dia 21, a fiscalização aconteceu na cidade de Santa Brígida/BA. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente contribuiu com os agentes da PRF e do IBAMA com informações e demandas locais.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

15241138_1353327771358312_718114823564343175_n

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

Durante verificação dos estabelecimentos da feira da cidade, foi encontrada uma barraca com um depósito contendo 44 pássaros silvestres (Galo-da-campina, Sabiá-laranjeira, Sanhaço-cinzento) que seriam revendidos em Itabaiana/SE. O local estava sob responsabilidade de uma mulher, que deu detalhes da atividade. Ela disse ainda que o seu marido era o responsável pelo negócio, mas ele se recusou a comparecer ao local. Foi lavrado TCO pelo cometimento de crime ambiental.

 

Em outro momento, enquanto se deslocava pelo KM 8 da BR 110, já no retorno a Paulo Afonso, as equipes avistaram uma gaiola com pássaro silvestre em uma residência às margens da rodovia. Ao adentrar ao local, os policiais encontraram um viveiro com 21 aves silvestres (tico-tico, maria-fita e azulão) e 13 preás. O local tinha ainda armadilhas e apetrechos utilizados para captura das espécies na natureza, o que leva a crer que os animais seriam destinados para a comercialização. O proprietário foi identificado e um TCO foi lavrado.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

Somando-se entregas voluntárias e retirada dos locais de revenda, o dia de fiscalização terminou com 170 animais resgatados.

 

Denúncias

 

No dia 22, os agentes voltaram a Paulo Afonso para revisitar os locais autuados pela última edição da FPI no município, em 2011. A maioria dos locais notificados não voltou a infringir a legislação ambiental. A exceção ficou por conta de um ponto flagrado em 2011 com 28 animais silvestres. Um comerciante, conhecido como “Pernambuco”, foi novamente autuado pelo IBAMA – sendo que, dessa vez, ele tinha 28 animais silvestres em cativeiro e responderá também por crime ambiental.

 

Um outro grupo de agentes se dedicou a verificar denúncias, sendo que na maioria delas os agentes confirmaram as informações e realizaram apreensões de espécies da fauna brasileira. Em uma das casas, foi resgatada uma ararajuba, espécie de ave rara e endêmica do Brasil.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

Esse dia de trabalhos resultou em quatro TCOs e 173 animais silvestres resgatados.

 

Povoados

 

No dia 23, a fiscalização concentrou suas ações na zona rural de Jeremoabo. Nos povoados da região, foram resgatados 194 animais silvestres. Um deles, um tatu, estava pronto para ser abatido, mas foi salvo pela equipe e liberado em seguida.

 

Além dos crimes ambientais, as equipes da PRF identificaram uma motocicleta adulterada no povoado Brancos. No mesmo estabelecimento onde foi encontrado o tatu, os policiais avistaram uma motocicleta HONDA/Bros 150, licenciada em São Paulo/SP, de cor preta. Ao verificarem os sinais identificadores do veículo, perceberam que os números de chassi e de motor haviam sido suprimidos. A motocicleta foi então apreendida e encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Jeremoabo.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

15192669_1353327584691664_8953044511965322744_n

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

Em Rodelas/BA, uma outra frente de trabalho identificou três picapes FIAT/Strada roubadas. Os veículos ostentavam placas “clonadas” de outros similares com o objetivo de enganar a fiscalização. Porém, os policiais analisaram os elementos identificadores e descobriram as placas verdadeiras, que possuíam registro de roubo. Os motoristas foram presos em flagrante pelo crime de receptação.

 

Glória

 

No dia 24, a fiscalização ficou dividida entre os municípios de Paulo Afonso e Glória, cidades vizinhas, onde 312 animais foram resgatados, sendo 81 na primeira cidade e 97 na segunda. No povoado de Malemba, pertencente a Glória, apenas uma residência mantinha 97 animais em cativeiro. O local foi autuado pelo IBAMA e foi lavrado pela PRF TCO por crime ambiental.

 

FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados
FPI: primeira semana termina com mais de 1000 animais resgatados

 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

11 respostas

  1. Isso é inadmissível essa onda de FPI aqui em Paulo Afonso, pois estamos presenciando ABUSO DE AUTORIDADE por paerte de certos fiscais FECHANDO EMPRESAS, soube que o ASSAI vai fechar, DEVEMOS TODOS UNIRMOS PARA EXPULSAR ESSES FORASTEIROS que não entendem que o desemprego está aumento cada vez mais, onde o diálogo deveria ser a tônica, pra isso que serve a educação ambiental. Tem fiscais do INEMA que anda falando mal do povo de Paulo Afonso, esses fiscais de juazeiro que moram por lá nada faezem na sua região e vem pra cá com essa moral toda quereno fechar tudo que é estabelecimento. VAMOS EXPULSAR ESSES TIPOS. na minha empresa eu gero 25 empregos e agora vou demitir todos e culpo esse povo do INEMA. – See more at: https://pa4.com.br/noticias/fpi-fecha-fabrica-de-ceramica-ilegal-em-macurure#sthash.BBC6SZcc.dpuf

  2. Sou empresário do ramo de combustíveis também APOIO e peço aos nobres vereadores da cidade que tomem uma decisão, pois assim iremos aumentar o desemprego na região. QUEREMOS EMPREGAR, mas dessa forma e na condição que esse órgão ambiental anda fazendo aqui, estamos sabendo que na casa deles em juazeiro eles não fazem a lição de casa, e aqui é casa de mãe joana???
    FORA ESSAS ARBITRARIEDADES, fora o abuso de poder.

  3. Também não dá para entender Eustáquio! Se fazem de desentendidos. Tipo de pessoa que só pensa no dinheiro. Se querem seguir no ramo de criação de animais, sugiro lerem a legislação ambiental para não saírem falando besteira. E ainda vem um falar em diálogo…. não levam a sério a questão ambiental, isso sim. É uma pena que esse trabalho não seja feito de forma constante.

  4. Eu só quero entender: O que é que o Ibama, Inema, Crea ou PRF ou seja lá quem diabo for vão fazer com o papagaio de uma senhora de 80 anos que lhe faz companhia há quase 30 ANOS! Vão soltar na natureza? Não dura um dia! O mais provável é que algum fiscal “bondoso” leve ele pra casa, como devem fazer com canários e outros pássaros valiosos…

  5. Apoio totall. E se eu souber ou ver algum desses empresários que se dizem empreendedores com o sofrimentos desses animais, eu denuncio. Vão lavar roupa no rio, seus abestalhados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.