Paulo Afonso entre os 61 destinos com demanda, mas ‘sem aeroporto adequado’; dizem companhias aéreas

País tem 61 cidades sem voos regulares por falta de infraestrutura, dizem aéreas

Por | 19 de agosto de 2013 às 20:06

Segundo matéria  publicada no portal Folha de São Paulo do último dia 17 de agosto, o país possui 61 destinos com demanda para receber voos regulares com aviões de pelo menos 50 assentos, mas que não entraram na malha das companhias aéreas por falta de infraestrutura adequada. Entre os aeroportos citados pelas empresas está o de Paulo Afonso (veja relação abaixo).

Os 61 destinos estão contemplados no programa do governo federal para a aviação regional, que prevê investimentos de R$ 7,3 bilhões em 270 aeroportos.

A lista dos destinos prioritários para as companhias aéreas inclui cidades como Guarujá, no litoral paulista, Feira de Santana (BA) e Lucas do Rio Verde (MT) e será apresentada ao governo esta semana, em uma reunião marcada para a próxima terça-feira.

Dos 61 destinos, alguns como Rio Grande, Santa Maria, e Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, já recebem voos com aviões de pequeno porte, mas as empresas demandam melhorias para que possam receber aviões de pelo menos 50 assentos, como os turboélices ATR 42, usados pela Azul e pela Trip.

Segundo o presidente da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), Eduardo Sanovicz, uma vez feito o investimento nesses aeroportos, em 90 dias as companhias teriam condições de iniciar voos. Segundo Sanovicz, a demanda nessas cidades se justifica sem os subsídios prometidos pelo governo para a aviação regional.

A lista dos aeroportos regionais faz parte de uma longa agenda a ser discutida com o ministro Moreira Franco (Aviação Civil) e o presidente da Anac, Marcelo Guaranys.

A pauta mais premente está relacionada às perdas bilionárias das empresas, principalmente devido à desvalorização do real e à alta do combustível. As empresas querem a redução de impostos e uma nova política de preços para o combustível por parte da Petrobras.

No encontro, os presidentes de TAM, Gol, Azul e Avianca também devem apresentar propostas de melhorias para aeroportos em que elas já operam, incluindo a adoção do sistema de navegação aérea por satélite PBN (sigla em inglês para navegação baseada em performance).

Outra preocupação que deve entrar na pauta do encontro é a relação com as concessionárias dos aeroportos privatizados. As empresas querem que a Anac faça um acompanhamento dos contratos de concessão para evitar cobranças abusivas por serviços e uso da infraestrutura.

FURTO DE BAGAGEM

As empresas aéreas devem sugerir ainda a criação de um plano de ação para coibir furtos de malas nos aeroportos. "Há casos em que a responsabilidade é nossa, mas há outros em que os furtos poderiam ser evitados caso houvesse mais segurança no trajeto das malas nas áreas restritas dos aeroportos", diz Sanovicz.

Aeroportos
1.       Tarauacá/AC
2.       Arapiraca/AL
3.       Oiapoque/AP
4.       Boca do Acre/AM
5.       Borba/AM
6.       Carauari/AM
7.       Itacoatiara/AM
8.       Labrea/AM
9.       Manicoré/AM
10.   Maués/AM
11.   Bom Jesus da Lapa/BA
12.   Feira de Santana/BA
13.   Guanambi/BA
14.   Jequié/BA
15.   Paulo Afonso/BA
16.   Teixeira de Freitas/BA
17.   Sobral/CE
18.   Cachoeira do Itapemirim/ES
19.   Linhares/ES
20.   Itumbiara/GO
21.   Barra do Garças/MT
22.   Cáceres/MT
23.   Juara/MT
24.   Juina/MT
25.   Lucas do Rio Verde/MT
26.   São Feliz do Araguaia/MT
27.   Três Lagoas/MS
28.   Divinópolis/MG
29.   Paracatu/MG
30.   Caldas/MG
31.   Teófilo Otoni/MG
32.   Almeirim / Monte Dourado/PA
33.   Conceição do Araguaia/PA
34.   São Felix do Xingu/PA
35.   Francisco Beltrão/PR
36.   Guarapuava/PR
37.   Ponta Grossa/PR
38.   Umuarama/PR
39.   Caruaru/PE
40.   Parnaíba/PI
41.   São Raimundo Nonato/PI
42.   Angra dos Reis/RJ
43.   Bagé/RS
44.   Erechim/RS
45.   Rio Grande/RS
46.   Santa Cruz do Sul/RS
47.   Santa Maria/RS
48.   S��������q)�� ��

Segundo matéria  publicada no portal Folha de São Paulo do último dia 17 de agosto, o país possui 61 destinos com demanda para receber voos regulares com aviões de pelo menos 50 assentos, mas que não entraram na malha das companhias aéreas por falta de infraestrutura adequada. Entre os aeroportos citados pelas empresas está o de Paulo Afonso (veja relação abaixo).

Os 61 destinos estão contemplados no programa do governo federal para a aviação regional, que prevê investimentos de R$ 7,3 bilhões em 270 aeroportos.

A lista dos destinos prioritários para as companhias aéreas inclui cidades como Guarujá, no litoral paulista, Feira de Santana (BA) e Lucas do Rio Verde (MT) e será apresentada ao governo esta semana, em uma reunião marcada para a próxima terça-feira.

Dos 61 destinos, alguns como Rio Grande, Santa Maria, e Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, já recebem voos com aviões de pequeno porte, mas as empresas demandam melhorias para que possam receber aviões de pelo menos 50 assentos, como os turboélices ATR 42, usados pela Azul e pela Trip.

Segundo o presidente da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), Eduardo Sanovicz, uma vez feito o investimento nesses aeroportos, em 90 dias as companhias teriam condições de iniciar voos. Segundo Sanovicz, a demanda nessas cidades se justifica sem os subsídios prometidos pelo governo para a aviação regional.

A lista dos aeroportos regionais faz parte de uma longa agenda a ser discutida com o ministro Moreira Franco (Aviação Civil) e o presidente da Anac, Marcelo Guaranys.

A pauta mais premente está relacionada às perdas bilionárias das empresas, principalmente devido à desvalorização do real e à alta do combustível. As empresas querem a redução de impostos e uma nova política de preços para o combustível por parte da Petrobras.

No

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.