Por

Ivone Lima (Paulo Afonso Agora)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

14696975_1070949839689685_701757117_n

 

Zezinho (PTN) voltou, nesta sessão ordinária da Câmara, a ser o mesmo de sempre e derramar impropérios na Tribuna, opinando principalmente a respeito do que não sabe ou finge não saber.

 

Enquanto os vereadores da oposição desciam a madeira na administração municipal e, de forma mais direta, na pasta da saúde, o vereador, que antes fez couro com eles para denunciar o que chamou de “safadeza” e “falta de vergonha na cara” de colegas seus que estavam, segundo afirmou, comprando votos, agora vem em socorro do mesmo governo.

 

“Agora vim falar da saúde de Paulo Afonso?, eu queria que muitos de vocês fossem para a capital, saber como é a saúde lá fora”, disparou, esquecendo-se que, não fosse as capitais que socorrem os pauloafonsinos, muitos já teriam morrido.

 

Zezinho, no curso da sessão, também não conseguiu manter coerência com o que sopra pela boca, e faz em seguida.

 

Achando que o negócio não estava muito bom para os vereadores da base governista, e mais perdido que cego em tiroteio, durante discussão do projeto do crédito adicional – no caso os já famosos R$ 8 milhões – disse ser mais prudente que a votação fosse adiada.

 

“Já que está essa confusão, porque não deixar para a próxima sessão”?, questionou a bancada. No entanto, na hora de votar, sentado estava sentado ficou.

 

Zezinho, contudo, lembrou que passou toda a campanha vendo navios. “Anilton nunca chegou com um centavo para mim, graças a Deus ele nunca chegou com isso aí”, então resolveu, mais uma vez, referir-se as 41 obras do prefeito.

 

“Só agora em 2016 Anilton entregou 30 abras, aí como esse prefeito pode ser tão ruim assim, eu não tô entendendo mais é nada”, finalizou sendo sensato.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Uma resposta

  1. Em Salvador, Paulo Afonso, por onde vc andar, é o caos na área da saúde. Por que isto acontece? Muito simples. Os meios de cura que são empregados são impróprios para a saúde humana, falta conscientização sobre erros alimentares e alguns outros hábitos indispensáveis à saúde=conservação da vida.
    Lembra, Ozildo, quando tentei falar com vc sobre a portaria 971, ter este instrumento regulamentado em Paulo Afonso?

    Trabalhei durante 19 anos em PA e ainda vou voltar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.