Por

Com SF Agro ([email protected]br)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

imagemPresidida pelo pauloafonsino, Dernival Oliveira, a Bahia Pesca órgão vinculado à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), ganhou mais um destaque na mídia nacional, dessa vez por expor um projeto, chamado de Fábrica de Conserva, na 29ª edição da Fenagro, realizada até domingo (4), no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador. Além disso, o estande da Bahia Pesca, localizado na Avenida do Agronegócio, também apresenta na feira o Sistema de Piscicultura em Bioflocos, que viabiliza a produção de peixes em pleno Sertão.

 

Veja matéria completa abaixo:

 

Programa Bahia Pesca vai aumentar a renda de pescadores e marisqueiras

 

Por SF Agro ([email protected])

 

A Seagri criou uma pequena unidade de produção, que aumentará o valor comercial de pescados antes descartados
A Seagri criou uma pequena unidade de produção, que aumentará o valor comercial de pescados antes descartados

 

Pescadores e marisqueiras baianas poderão ter uma renda cinco vezes maior que a atual a partir do ano que vem. A Bahia Pesca, vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), criou uma pequena unidade de produção, que aumentará o valor comercial de pescados antes descartados por estes profissionais. O projeto, chamado de Fábrica de Conserva, está em exposição na 29ª edição da Fenagro, que acontece até domingo (04/11) no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador. Além disso, o estande da Bahia Pesca, localizado na Avenida do Agronegócio, também apresenta na Feira o Sistema de Piscicultura em Bioflocos, que viabiliza a produção de peixes em pleno Sertão.

 

15327740_1063161783794266_989716775_nA Fábrica de Conserva de Pescados representa uma grande oportunidade para pescadores e marisqueiras responsáveis pelo beneficiamento e comercialização dos produtos da pesca artesanal. A proposta da fábrica é utilizar como matéria-prima principal pescados de baixo valor comercial, que são descartados pelos pescadores e donos de embarcações. “Ao serem processados nas fábricas, estes pescados se transformam em novos produtos de alta qualidade nutricional e boa visibilidade comercial, por serem muito saborosos”, explica a coordenadora de promoção social da Bahia Pesca, Eliana Carla Ramos.

 

Um quilo de sardinha, por exemplo, que custa em estado bruto apenas R$0,70 o quilo, pode ser transformado, na fábrica, em linguiças que chegam a custar R$ 14 o quilo. “Na fábrica os pescados podem ser higienizados, cozidos, eviscerados ou catados. Caso a matéria-prima sirva para a elaboração de fishburguer, lingüiça, bolinhos, entre outros, o pescado, já catado e limpo, será conduzido à mesa de transformação, e receberá temperos, ganhando novas formas e sabores”, afirma Eliana.

 

A Fábrica apresenta alguns benefícios em relação à unidade de beneficiamento de pescado. Apesar de uma unidade de beneficiamento agregar valor ao pescado (por meio de filetagem, cozimento, etc), ela não transforma o peixe em novos produtos, como acontecerá na fábrica. Além disso, a fábrica pode ser construída com apenas metade dos recursos utilizados para a construção de uma unidade. Os primeiros beneficiados com a fábrica serão cerca de 200 marisqueiras das cidades de Salvador e Valença, no primeiro semestre de 2017.

 

fabricadeconserva

 

Sistema bioflocos

 

Quem visitar o estande das Bahia Pesca na Fenagro poderá conhecer também um sistema adaptado pela Bahia Pesca para ser usado no Semiárido. Trata-se da piscicultura em sistema bioflocos.  O sistema permite que a água seja reutilizada por até seis meses, ao invés de ser trocada diariamente como normalmente é feito. O estande da Bahia Pesca está aberto para visitação das 9h às 21h.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.