Polícia apreende ‘paredão de som’ em condomínio de luxo avaliado em R$ 100 mil em Paulo Afonso (BA)

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR | 5 de julho de 2020 às 17:54

Fotos: Polícia Civil de Paulo Afonso-BA



 

 

Um reboque com um “paredão de som” ligado com volume alto superior ao permitido por lei foi apreendido na noite deste sábado (4), no Condomínio Paraíso das Águas, proximidades do Parque Aquático. De acordo com a Polícia Civil o local é considerado condomínio de luxo em Paulo Afonso, Bahia.

 

“A PM foi acionada sobre uma ocorrência de perturbação do sossego no condomínio de luxo Paraíso das Águas. Foram ao local e constataram a veracidade da denúncia (“paredão de som”) e solicitaram a pessoa de C.A.P.S., conhecido como “B. do Som”, que acompanharam os policiais até a Delegacia de Polícia Civil para os devidos procedimentos.”

 

De acordo com a polícia, “A senhora T.A.C. (esposa) ofendeu os PMs, motivo pelo qual foi conduzida por desacato. Quanto ao som, inicialmente não foi possível a sua apreensão, pois o policiamento não dispunha dos meios para tanto. Na delegacia, o Delegado de Polícia Civil, Eduardo Henrique, resolveu se dirigir ao mencionado condomínio, juntamente com o apoio dos policiais militares, acionou um guincho e o “paredão de som” foi apreendido (segundo o proprietário o equipamento pesa mais de uma tonelada e o avalia em mais de R$ 100 mil).

 

O proprietário responderá pelo crime de perturbação do sossego e a esposa por desacato.

 




 



26 pensamentos em “Polícia apreende ‘paredão de som’ em condomínio de luxo avaliado em R$ 100 mil em Paulo Afonso (BA)”

    1. aí meu chapa,porq vc não luta pra prefeitura e a secretária social destribuir doação ,pra vc que delira , é o papel desses orgãos ,que são beneficiados com seu e nosso dinheiro

  1. Acredito que grande parte das reclamações poderiam ser evitadas se as pessoas adotassem a política da boa vizinhança, pois não custa se dirigir ao vizinho e solicitar a diminuição do volume, de forma educada e sem agressões. Com essa iniciativa, metade dos problemas seriam resolvidos.

    1. Nem sempre viu…Tenho um vizinho que insiste em construir a noite…já reclamei, pedi, processei, pagou multa e….continua numa obra que parece inacabável….rs.

    2. Por mais de uma vez tentei esta prática e não resolveu. Eu só queria entender o porquê de uma pessoa achar que todo mundo quer escutar a mesma música que ele. Bote um fone de ouvido e resolve o problema.

      1. Não tem nada a ver com prefeitura.. lei é lei é tem q ser cumprida! Todos são iguais e todos tem q obedecer independente da condição financeira

        1. quem tá falando que não é pra cumprir lei,?vc aí já tá errada.se fala de pessoas com recalques que transformam palavras q não condiz o assunto e sim grosseiraos . só define o quanto se preocupam mais em rinchas.quando na verdade coisas mais importante fecham os olhos,tipo o destino da cidade por 4 anos ,sem UTI,sem empregos etc.entendeu errada oposto de ccorreta

    1. Deve ser péssimo para a Polícia essa avaliação em 100 mil reais o paredão. Estando sob a custódia do poder público, eles terão que guardar bem direitinho…
      🤭

  2. O que adianta construir textos moralistas se as atitudes não são condizentes?

    Estranha atitude da policia!
    Uma abordagem desnecessaria, com aparatos excessivos (4 ou 5 viaturas, com militares armados com metralhadoras como se estivessem indo a guerra).

    Ao invés de solicitar baixar o volume, ou desligar o som, já foram dando voz de prisão ao dono do som (Ilegalidade).

    Não havia aglomeração, mas algumas pessoas do próprio condominio.

    Uma criança de 6 anos foi envolvida, desnecessariamente.

    Uma advogada, defendendo o marido, e tentando salvaguardar a integridade psiquica do filho de 6 anos, que no momento estava dentro de casa, e foi surpreendida com a ação de aparato EXARCERBADO.

    Prisão de advogada no exercicio da profissão, sem a presença de um representante da OAB (ilegalidade).

    Fala-se em “desacato a autoridade”, mas esquecem de mencionar o ABUSO DE AUTORIDADE, e PRECONCEITO.

    Abuso de Autoridade (preconceito?) x Desacato

    Abordagem exexagerada (imoderada), vez que não houve em nenhum momento RESiSTÊNCIA.

    Atitude demasiadamente cinematografica, … que por ética, não direi o nome (mas que não tem ética nenhuma em suas postagens – blog e/ou Instagram):
    “Vamos pedir reforço”….
    (🤔 oi? )

    Estamos atravessando im período dificil. A pandemia está ai,
    Os que se acham “deuses”, ou “semideuses” deveriam rever suas atitudes.
    Todos nós temos família, e todos nós estamos sujeitos as adversidades.

    Um ponto curioso, bem interessante: quem pagou o guincho para levar o som???
    Uma das poucas pessoas que estava lá🤭.

    A dinâmica de atuação policial de Paulo Afonso, face as ocorrências envolvendo o uso de som, estão sendo ao meu ver com “dois pesos e duas medidas”.

    O princípio da legalidade, norteador constitucional das ações, impõe ao agente público o dever de fazer somente o que está previsto em lei.
    Ao se afastar ou desviar da letra, poderá estar praticando ato inválido..

    Sem provas técnicas, não se pode apreender, prender…
    Não li, não vi aferição feita por aparelho aprovado pelo INMETRO, dos decibéis…

    Por fim, um lembrete:

    “Não há hierarquia nem subordinação entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público, devendo todos tratar-se com consideração e respeito recíprocos.”

    1. tanta palavra bonita para defender o amigo, paulo afonso tem muito disso, se fosse um qualquer queria ver se o defendia tão bem assim.
      abuso tem muito mais por se tratar de alguém conhecido vira manchete e revolta dos colegas.
      eita cidade que não muda

      1. Para “Anônimo”

        “tanta palavra bonita para defender o amigo,”

        Obrigada pelo “elogio”…
        Mas, não fiz uso de “palavras bonitas para defender o amigo”. Não gosto de injustiças.

        Sou pauloafonsina de nascimento e de coração.
        Amo a minha cidade!
        E sou uma daquelas pessoas que não suporta ver pessoas querendo tirar proveito do status que possui.

        Quando você diz: “,se fosse um qualquer queria ver se o defendia tão bem assim.” Se a pessoa estiver certa eu defendo sim.

        Infelizmente, muitos, mas não todos em Paulo Afonso, reverenciam as pessoas que veem de fora, e esquecem dos seus conterrâneos.

        Pergunto:
        Se o telefonema fosse realmente anônimo, num bairro “qualquer” , devido a um “som alto” a polícia teria deslocado 4 ou 5 viaturas com soldados e policiais civis, com direito a presença do delegado?

        Talvez a polícia nem atenderia…

        Por que eu sei que muitos chamam, gritam por socorro, e a PM e a PC só chega depois que já houve o roubo (ameaça, violência e as vezes resultando em morte), mortes, tráfico de drogas, entre outros.

        Concordo com você quando diz:
        “eita cidade que não muda”, e acrescento: mas pode, se mudarmos as nossas atitudes.

        “Se você não gosta de algo, mude-o; se você não pode mudá-lo, mude a maneira como pensa sobre ele”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.