Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Depois de circular com o espetáculo “Farsa da Boa Preguiça” em 2010 por 21 cidades de sete estados nordestinos (sendo três baianas: Cruz das Almas, Feira de Santana e Salvador), atingindo um público de mais de 17 mil pessoas, o Ser Tão Teatro empreende sua nova aventura: a realização da turnê de “Flor de Macambira” por dez cidades do leito do Rio São Francisco, além de Belo Horizonte e Rio de Janeiro, entre 11 de fevereiro e 3 de abril.


 


Ainda em 2010 o grupo retornou à Bahia com o espetáculo “Vereda da Salvação”, apresentado em Canudos e em Salvador. Desta vez o Ser Tão surpreende em sua mais nova turnê ao ingressar no interior do Nordeste, margeando o velho Chico. Na terra de todos os santos as cidades visitadas são Paulo Afonso (16/02), Juazeiro (20/02), Xique Xique (23/02) e Bom Jesus da Lapa (26/02).


 


Em Paulo Afonso, o grupo se apresenta na próxima quarta-feira (16/02), às 19h, na Praça das Mangueiras. A programação, toda gratuita, segue com a oficina “Construindo a cena com o Ser Tão”, nos dias 15 e 16/02 no Centro de Cultura Lindinalva Cabral.


Ao todo são dezoito pessoas da equipe técnica que percorrem, de ônibus, cerca de 5.860 km, levando teatro às praças públicas dessas e de outras cidades e estados do Brasil, como Penedo (AL), Propriá (SE), Petrolina (PE), Januaria (MG), São Francisco (MG) e Pirapora (MG).


 


Dirigido por Christina Streva, o espetáculo é baseado na obra “O Coronel de Macambira”, de Joaquim Cardozo, publicada em 1963, mas pouco encenada até hoje. A pesquisadora Rosyane Trotta e o Ser Tão Teatro assinam a dramaturgia da montagem. O patrocínio é da Chesf, através do Programa Eletrobras de Cultura 2010.


 




 


A Peça


 


“Flor de Macambira” é uma festa popular com música, comicidade, cor e teatralidade que conta a história da jovem Catirina, a mais bela flor da Fazenda Macambira, que sucumbe aos vícios e tentações mundanas e, para salvar-se a si e a seu amado, mergulha nas profundezas de sua alma. Tipos do cotidiano brasileiro como o coronel sanguinário, o padre mercantilista, o bicheiro corrupto, e o triunvirato do capitalismo: o economista ilusionista, o banqueiro especulador e o marqueteiro enganador vão sendo apresentados, quadro a quadro, no espetáculo. “Aparentemente simples, as historias populares ocultam poderosas pistas para o entendimento do ser humano”, diz a diretora, atualmente docente e coordenadora de Cultura da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).


 


APRESENTAÇÕES NA BAHIA:


 


16/02 –Paulo Afonso (BA)


20/02 – Juazeiro (BA)


23/02 – Xique – Xique (BA)


26/02 – Bom Jesus da Lapa (BA)

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.