Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

O relatório do deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) sobre a MP 735/16, que atualiza as regras para o setor elétrico, foi aprovado pela Comissão Mista do Congresso Nacional, esta quarta-feira (05). Entre as emendas incorporadas ao projeto de lei que segue agora para votação em plenário na Câmara Federal e no Senado, Aleluia incluiu a isenção da taxa da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) nas contas de luz dos beneficiários da Tarifa Social de Energia Elétrica.

Segundo o parlamentar baiano, a proposta dele tem como principal objetivo não repassar a conta da recuperação do setor energético para as camadas da população mais vulneráveis. “Nesta crise econômica, quem mais sofre são os mais pobres. A taxa de inadimplência dos beneficiários da tarifa social de energia já chega a quase 25%”, assinala.

Para Aleluia, o projeto de lei de conversão que resultou da discussão da MP 735/16 propõe promover modificações na gestão e no rateio das cotas da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) de modo a reparar erros na condução da política elétrica nos últimos anos.

“O Estado errou e errou muito nos últimos anos na forma como conduziu sua política energética e isso penalizou o setor. É hora de reparar esses erros, mas é preciso ficar atento. O custo final não pode ficar sobre o consumidor de baixa renda que já apresenta sinais de desgaste diante do custo da energia vendida”, disse o deputado.

Na avaliação de Aleluia, a legislação do setor elétrico estava obsoleta e era necessário modernizá-la. “Fazendo uma comparação com setor de telecomunicações, o setor elétrico ainda está no tempo do telefone fixo”, observou, ressaltando a importância de novas regras que acelerem o processo de desmobilização das empresas estaduais de energia, que ainda não foram privatizadas. “É o primeiro avanço do setor nos últimos 13 anos”. A proposta que vai a plenário reúne sugestões de todos os partidos em 43 páginas.
 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.