Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Neto caminha para a eleição de 2018

Como era esperado, o PT desabou nas eleições de ontem em todo o país levando a legenda deixar a condição de um dos principais partidos para se integrar o bloco das legendas médias. Isso derruba o refrão de Lula que, vez por outra, repete que poderá vir a ser candidato à presidência em 2018. Agora, dificilmente repetirá o que tem dito. A sua situação passa a ser constrangedora e a sua liderança está posta em xeque. A principal queda do PT aconteceu no ABC paulista, de onde o ex-presidente zarpou para a política até chegar ao comando da República, numa ascensão que chamou a atenção do mundo. Lula saiu do chão das fábricas para comandar a esquerda brasileira. O ABC paulista a partir de ontem já não dá sinais de que até pouco tempo foi o lugar onde o Partido dos Trabalhadores nasceu. Não só. Elegendo um único prefeito em Rio Branco, no Acre, o PT se distanciou também do Nordeste, conseguindo apenas colocar em segundo turno, em Recife e com muita dificuldade, o petista João Paulo. Geraldo Júlio ficou com 49,34% dos votos, pelo PSB, contra 23,76% de João Paulo. A diferença é tamanha que o PSB só necessita de 0,7% da votação para ficar com a prefeitura. Em São Paulo o grande vencedor foi Geraldo Alckmin. Ganhou em grande parte do estado para o seu PSDB e será certamente candidato à Presidência da República em 2018, em disputa interna com Aécio Neves. Aqui na Bahia ACM Neto foi tão absoluto com seus 74% dos votos que os candidatos que tentaram lhe fazer frente passaram a dizer que “estavam satisfeitos” isso depois dos resultados. Não tinham nada para explicar se não fosse esta estranha “satisfação”. Os três principais derrotados – Alice Portugal, Sargento Isidoro e Cláudio Silva – foram apoiados pelo governador Rui Costa. O governador deve estar arrependido. Errou, presume-se, em apostar em três nomes e, mais ainda, ajuda-los na campanha eleitoral. Poderia ficar numa suave discrição. Seria para ele mais interessante organizar o PT no interior baiano, como o fez o PSD, presidido pelo senador Otto Alencar, que arrebatou o maior número de prefeituras interioranas, seguido pelo PP, com 55, o PMDB com 47, o PT com 39 e o DEM com 35. Esses 35 do DEM tiveram sinais de ACM Neto. Em Feira de Santana, José Ronaldo se elegeu também pelo DEM com 71% dos votos o que fortaleceu Neto para o futuro que almeja. Com isso, o prefeito reeleito de Salvador está a se preparar para 2018. Tudo ficará a depender das circunstâncias. Se forem positivas se lançará ao governo da Bahia contra Rui Costa. Até aqui ele não comenta e quando perguntado diz que não.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.