Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Fotos: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados | Valdemiro Lopes/ CMS | Divulgação

Eleição de seis deputados muda composição na Câmara e na AL-BA

Por Evilásio Júnior (site bahia.ba)

A eleição de seis deputados baianos a cargos em executivos municipais, neste domingo (2), mudará a composição na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa a partir de janeiro de 2017.

Com a vitória de Moema Gramacho (PT) em Lauro de Freitas, o suplente Fernando Torres (PSD) torna-se parlamentar efetivo em Brasília. Como Josias Gomes (PT) está licenciado do mandato desde que assumiu a Secretaria Estadual de Relações Institucionais (Serin), a vaga fica interinamente com Davidson Magalhães (PCdoB). O comunista chegou a exercer o posto, mas tinha perdido a cadeira a partir da saída de Nelson Pelegrino (PT) da pasta do Turismo do governo Rui Costa, no fim de julho.

Na Assembleia Legislativa (AL-BA), a única mudança imediata é a saída de Jânio Natal (ex-PRP) para o ingresso de Uziel Bueno (ex-PV), que também ficou com a suplência da Câmara de Vereadores de Salvador. Ambos hoje estão no PTN, mas disputaram a última eleição estadual pela coligação PPS/ PSDC/ PTC/ PV/ PRP/ PTdoB.

Em outros casos, a definição não será tão simples, pois dependem da escolha individual dos envolvidos. Duas vagas ficarão para a coligação DEM/ PMDB/ PSDB/ PTN/ SD/ PROS/ PRB/ PSC, formada em 2014, devido às vitórias do vice-prefeito eleito da capital, Bruno Reis (PMDB), e do prefeito eleito de Monte Santo, Vando (PSC). No entanto, o primeiro suplente da chapa, Antônio Elinaldo (DEM), também ganhou o comando do seu município, Camaçari, e terá que optar entre ser prefeito ou deputado estadual.

Como a primeira opção é a mais provável, as cadeiras ficariam com Samuel Júnior (PSC) e Héber Santana (PSC), o que também levaria Alberto Braga (PSC) à titularidade no Legislativo soteropolitano. Se Héber resolver ficar em Salvador, a resolução embola, já que Luiz de Deus (ex-DEM, hoje no PSD) foi eleito prefeito de Paulo Afonso, o que poderia beneficiar o quinto suplente, Anderson Muniz (PTN).

Já na coligação PP/ PDT/ PT/ PTB/ PR/ PSD o cálculo pode ser ainda mais complicado para uma das vagas. Com os triunfos de Robério Oliveira (PSD), em Eunápolis, e Rogério Andrade (PSD), em Santo Antônio de Jesus, Bira Coroa (PT) retorna automaticamente à AL-BA. O segundo assento ficaria com Mirela Macedo (PSD), eleita vice-prefeita de Lauro de Freitas.

Caso ela opte pela função em sua cidade, o terceiro suplente é Temóteo Brito (PSD), mas o ex-deputado também obteve êxito nas urnas e foi escolhido como novo gestor de Teixeira de Freitas. Se ambos abrirem mão, o parlamento pode cair no colo do ex-petista Ângelo Almeida (PSB), quarto suplente e derrotado em Feira de Santana.

Mudanças na AL-BA:

Coligação PPS/ PSDC/ PTC/ PV/ PRP/ PTdoB

Jânio Natal (eleito pelo PRP, hoje no PTN) – Belmonte

Suplente:

1º – Uziel Bueno (suplente pelo PV, hoje no PTN)

Coligação DEM/ PMDB/ PSDB/ PTN/ SD/ PROS/ PRB/ PSC

Bruno Reis (PMDB) – eleito vice-prefeito de Salvador

Vando (PSC) – eleito prefeito de Monte Santo

Suplentes:

1º – Elinaldo (DEM) – eleito prefeito de Camaçari

2º – Heber Santana (PSC)

3º – Samuel Junior (PSC)

4º – Luiz de Deus (suplente pelo DEM, hoje no PSD) – eleito prefeito de Paulo Afonso

5º – Anderson Muniz (PTN)

Coligação PP/ PDT/ PT/ PTB/ PR/ PSD

Robério Oliveira (PSD) – Eunápolis

Rogério Andrade (PSD) – Santo Antônio de Jesus

Suplentes:

1º – Bira Coroa (PT)

2º – Mirela Macedo (PSD) – eleita vice-prefeita de Lauro de Freitas

3º – Temóteo Brito (PSD) – eleito prefeito de Teixeira de Freitas

4º – Ângelo Almeida (PT)

 

Veja matéria original AQUI.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.