Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Trocando em miúdos, os números do pleito 2016, dizem que a gestão de Anilton Bastos (PDT) é péssima. Por esse motivo, a candidatura de Luiz de Deus (PSD) foi ruim de largada e ganhou força à medida que a caminhada de Raimundo Caires (PSB) se esfacelava. Já o segundo colocado, Paulo de Deus (PMDB), largou bem, passou parte do tempo com ameaças reais de ganhar e acabou perdendo por 4,9%.

Raimundo, o decisivo

Nem a máquina poderosa que trabalhou ruidosamente garantiu a vitória apertada de Luiz de Deus, esta só veio porque Raimundo Caires – sabendo que não teria chances-, rejeitou desde sempre a dita "união das oposições" proposta por Mário Júnior (PP). Como eu já havia dito, Raimundo "pavimentou o caminho".

Com três ex-prefeitos no páreo, era muito óbvio que a população confrontaria o modelo de gestão, Paulo de Deus foi o melhor, não resta dúvidas. O povo de Paulo Afonso continuará vigilante e hoje a maioria está insatisfeita, rejeita um governo que com Luiz de Deus é apenas mais do mesmo.
 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.