Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Serviço e humildade são algumas das marcas que São Francisco de Assis legou ao caminhar pela terra. Passados quase um milênio, ao ouvir a Oração de São Francisco, é impossível não se questionar sobre como nós cristãos nos consolamos, perdoamos, nos doamos e vivemos, principalmente em nossa vida comunitária?
Começou neste domingo (25), o novenário do padroeiro de Paulo Afonso, na paróquia, cuja beleza da igreja já seria suficiente, some-se a ela, uma caprichosa decoração que toma todo o espaço com “o caminho da misericórdia”, galerias, stands e as famosas barraquinhas de comidas típicas.

Tema: São Francisco de Assis irmão da misericórdia

Pe. Gilmar que presidiu a santa missa concelebrada pelos padres Marcos e Pe. Celso, chegou em carreata, pois trazia a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, e os índios a diversidade do povo brasileiro. A recepção foi linda!

"Há algumas semanas o papa proclamou santa Tereza de Calcutá, e se observado, na história da Igreja, todos àqueles que se aproximaram dos pobres, que se tornaram pobres que colocaram Deus no caroção são os queridos de Deus", disse o Pe. Gilmar lembrando uma das marcas do padroeiro São Francisco, e completou:

"Ao contrário, àqueles que tem estudo, que falam bonito, muitas vezes se tornam os desgraçados de Deus, porque não conseguiram modificar o coração, apenas a mente, e São Francisco é o símbolo dessa comunhão e pobreza, pobreza que se torna riqueza, pois reconhece a grandeza de Deus e pequenez humana".

Uma festa grande, culta e bonita e melhor: sem recursos públicos

Pe. Celso agradeceu a pastoral da Família, ao EJC, e o coral que com o perdão do trocadilho – cantou divinamente, enfim, aos que trabalham antes, durante e depois que os fiéis vão embora. E deixou claro que essa é uma festa do povo de Paulo Afonso que gosta da Igreja.

"Temos o bingo e com ele pagamos as nossas contas, não temos que pedi nada a prefeitura, porque prefeitura precisa fazer saúde, educação melhorias para a vida de todo mundo, essas manifestações somos nós que devemos trabalhar e pagar", ressaltou Celso.

São muitas as doações particularmente do comércio, e dos paroquianos. Na São Francisco são distribuídas 50 cestas básicas aos mais necessitados todos os meses, e no novenário com a participação dos fiéis fará mais.

Hoje (26), será a noite da educação e o celebrante Pe. Fabriciano (pároco de Antas), o alimento é o arroz. O melhor é que está apenas começando, serão mais nove noites e todos terão oportunidade de participar e rezar por uma cidade com mais justiça social e paz. 

Serviço e humildade são algumas das marcas que São Francisco de Assis legou ao caminhar pela terra. Passados quase um milênio, ao ouvir a Oração de São Francisco, é impossível não se questionar sobre como nós cristãos nos consolamos, perdoamos, nos doamos e vivemos, principalmente em nossa vida comunitária?
Começou neste domingo (25), o novenário do padroeiro de Paulo Afonso, na paróquia, cuja beleza da igreja já seria suficiente, some-se a ela, uma caprichosa decoração que toma todo o espaço com “o caminho da misericórdia”, galerias, stands e as famosas barraquinhas de comidas típicas.

Tema: São Francisco de Assis irmão da misericórdia

Pe. Gilmar que presidiu a santa missa concelebrada pelos padres Marcos e Pe. Celso, chegou em carreata, pois trazia a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, e os índios a diversidade do povo brasileiro. A recepção foi linda!

"Há algumas semanas o papa proclamou santa Tereza de Calcutá, e se observado, na história da Igreja, todos àqueles que se aproximaram dos pobres, que se tornaram pobres que colocaram Deus no caroção são os queridos de Deus", disse o Pe. Gilmar lembrando uma das marcas do padroeiro São Francisco, e completou:

"Ao contrário, àqueles que tem estudo, que falam bonito, muitas vezes se tornam os desgraçados de Deus, porque não conseguiram modificar o coração, apenas a mente, e São Francisco é o símbolo dessa comunhão e pobreza, pobreza que se torna riqueza, pois reconhece a grandeza de Deus e pequenez humana".

Uma festa grande, culta e bonita e melhor: sem recursos públicos

Pe. Celso agradeceu a pastoral da Família, ao EJC, e o coral que com o perdão do trocadilho – cantou divinamente, enfim, aos que trabalham antes, durante e depois que os fiéis vão embora. E deixou claro que essa é uma festa do povo de Paulo Afonso que gosta da Igreja.

"Temos o bingo e com ele pagamos as nossas contas, não temos que pedi nada a prefeitura, porque prefeitura precisa fazer saúde, educação melhorias para a vida de todo mundo, essas manifestações somos nós que devemos trabalhar e pagar", ressaltou Celso.

São muitas as doações particularmente do comércio, e dos paroquianos. Na São Francisco são distribuídas 50 cestas básicas aos mais necessitados todos os meses, e no novenário com a participação dos fiéis fará mais.

Hoje (26), será a noite da educação e o celebrante Pe. Fabriciano (pároco de Antas), o alimento é o arroz. O melhor é que está apenas começando, serão mais nove noites e todos terão oportunidade de participar e rezar por uma cidade com mais justiça social e paz. 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.