Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

A Embasa – Empresa Baiana de Águas e Saneamento, figura entre as prestadoras de serviço do município de Paulo Afonso, que são campeãs de reclamação do consumidor, ver desempenho no SAC – Serviço de Atendimento ao Cidadão.

Vazamentos na rede, e consequentemente, a demora na resolução do problema, o jogo de empurra entre prefeitura e empresa – lembrando que cumpre a Embasa dar esse tipo de assistência há quase dois anos -, some-se a isto, a conta de água que de um mês para outro assusta o consumidor, e para tornar o estado de arte, a cobrança de 80% da chamada taxa de esgoto.

Ocorre que para a concessionária continuar oferecendo o serviço, a Câmara Municipal deve arbitrar sobre a assinatura de um novo convênio. Em outras palavras: entra o povo no negócio. O que sofre, o que suplica o cumprimento das leis, o que perde a paciência!, e no fim, paga de um jeito ou de outro pelo serviço quer bem feito ou não.

Se considerarmos evidentemente que o conteúdo sublinhado pelos vereadores corresponderá à súplica popular. Contudo, o projeto vem do executivo. E diga-se, ainda não chegou à Casa.

Preliminares

A Embasa, se quer melhor: o serviço ruim, já passou pela boca de quase todos os vereadores, de situação e oposição, a taxa de esgoto então… Zezinho (PTN), chegou a afirmar que a empresa estava “matando o povo”, com sua conta “doce” no fim do mês.

De lero lero todos estão cheios, fica então a grande pergunta: “O que aconteceu com o bem dito convênio que nunca chega?”.

Vereador Edson Oliveira (PP) cobra do presidente da Câmara agilidade na votação do projeto

No final do 1° semestre, foi Regivaldo Coriolano (PT) quem alertou que, agora, com a chegada do projeto, a dita cuja precisaria rever sua cobrança extravagante sobre a taxa de esgoto.

Diga-se que o município de Glória tem o mesmo intento. E as queixas por lá são mais acentuadas até, porém, o ano cumpre seu curso e necas de pitibiriba.

Por óbvio que a Embasa também irá se pronunciar, quando um dia esse projeto chegar. Veja que apelei à rima, para fechar esta longa explicação. Então chegamos as cobranças de Edson Oliveira (PP), líder da oposição:

“Nós temos um projeto de lei que tramita nesta Casa, que dispõe da cobrança da taxa de esgoto em Paulo Afonso, e está aqui há vários meses sem se quer vir à baila nas discussões, e nós sabemos que existe a possibilidade da renovação do convênio da Embasa com o município”, lembrou, cobrando agilidade sobra à pauta.

Edson Alertou ainda que, ser “renovado ou não” dependerá dos vereadores da Casa. Dito de outra forma: da pressão popular.

O projeto virá assegura Petrônio Nogueira

O presidente da Câmara Municipal, Petrônio Nogueira (PDT), assegurou que o projeto virá e este ano. “A prefeitura vai encaminhar esse projeto porque a concessão da Embasa esta se encerrando, e vai chegar nesse restante de legislatura nossa para ser aprovado”.

Nogueira alertou que a negociação para baixar a taxa será uma argumentação da Câmara, fica a preocupação, do “aprovado” dito por ele. Este verbo no “particípio” poderia ganhar flexibilidade, e ao mesmo tempo, aumentar as esperanças de um serviço melhor para a população. 


 

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.