Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Homem subiu em poste e morreu eletrocutado durante evento (Foto: Tássio Andrade/G1)

Um homem morreu na tarde desta segunda-feira (25), após receber uma descarga elétrica e cair de um poste na Praça General Valadão, no Centro de Aracaju, onde a presidente afastada Dilma Rousseff se preparava para iniciar o seu discurso no ato Jornada Nacional Pela Democracia.

Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o homem que aparentava ter cerca de 25 anos, estava sem identificação e sofreu uma parada cardíaca e traumatismo craniano e não resistiu.

Dilma chegou à capital sergipana por volta das 15h30, e seguiu para o Centro da cidade e por volta das 16h30 se reuniu com lideranças do PT, PCdoB e do MST.

Em seu discurso, que durou cerca meia hora, ela falou para centenas de pessoas e afirmou que é vítima de um golpe. “Não é um golpe com armas na mão. Eles estão me julgando por um não crime. Não só o Senado, mas o MPF me inocentou, mas isso para eles pouco importa, o que importa é me afastar da presidência. É implantar um processo de retrocesso. Temer vai privatizar o país. Não vou renunciar, não sou frágil. Não tenho conta na Suíça. Tenho posição, não sou recatada”, disparou.

"Eles querem acabar com o Mais Médicos, parando de contratar os médicos cubanos. E querem impedir que o povo tenha saúde. Querem fazer um plano de saúde mínimo conduzir a saúde dos pobres como se fosse diferente da dos ricos”, disse.

Durante o seu discurso a educação foi alvo de critícas. “Vários programas estão sendo encerrados. O Pronatec está praticamente cancelado, pois não fazem nenhuma matrícula. Para onde vai o dinheiro do orçamento? A tendência é tirar direitos dos trabalhadores”.

“A educação sem partido é na verdade o coroamento da visão que transforma o Brasil em uma pátria não desenvolvida. Querem nos transformar em um bando de carneiros. Isso é a educação sem partido”.

Em seu discurso ela falou sobre a importância de um país com saúde e educação e lembrou de nomes da política sergipana como o governador Marcelo Déda e o senador José Eduardo Dutra.

“Déda cantou a alma do povo sergipano do qual ele tinha muito orgulho. E uma das coisas que considero mais fortes em Deda e Zé Eduardo era a coragem de enfrentar desafios. Tenho certeza que vocês têm muitos desafios pela frente e que vocês vão honrar a memória desses dois sergipanos”, destacou.

“Eu queria abraçar cada um de vocês. Abraçar a solidariedade das mulheres, dos jovens, dos negros e dos índios e todas as minorias. Vivemos um tempo difícil no Brasil e está em curso um golpe contra os interesses do povo brasileiro”.

Presidente afstada Dilma Rousseff em ato na Praça General Valadão (Foto: Tássio Andrade/G1)

“Eu me inspiro na luta de vocês. Podem esperar sentados, pois eu não desisto dessa luta. Eu sei que vocês estão comigo. E é por isso, que tenho força para lutar. A razão e a democracia estão do nosso lado”.
Segundo os organizadores, 20 mil pessoas estavam no evento. A Polícia Militar não fez estimativa.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.