Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Valdemar Manoel Pedro da Silva, mais conhecido como “Demar”, “Negão” ou “Meu Cama” era um figura, daqueles que mesmo sem muita expressão, poucas palavras ou atitudes, deixa marcas, produz uma identidade com a qual a maioria se identifica e, no caso Dele, com a força, a coragem e a resistência dos quixabenses diante das incertezas, angústias e dificuldades da vida.

Demar faleceu em sua residência, ontem (27), aos 76 anos. De uma família com mais de 15 irmãos, veio da Glória Velha e se instalou no ‘Alto da Quixaba’ sob o comando do então líder Hortêncio Correia, na época, discordante dos poderosos que insistiam para que todos fossem para Nova Glória.

Por gostar muito de Cachaça, algumas pessoas diziam que ele não duraria muito, mas Meu Cama contrariou todas as previsões de vida curta que ele teria. A solidão foi sua maior inimiga e certamente era mais um motivo para tomar umas doses, ou melhor, até não aguentar mais e ir pra casa descansar. Um dos bares preferidos pelo fiel consumidor de pinga era o “Bar de Zé de Bela” (in memoriam).

Para nós, ficam as lembranças e a marca de um homem simples, do povo, um afro-descendente ou de pele negra, figura histórica que o Povoado Quixaba não vai esquecer e certamente registrará na sua história literal a passagem por aqui de um guerreiro, um sertanejo forte de alma boa que certamente encontrou abrigo no céu!

 

Por: Josiel Araújo
Morador do Pov. Quixaba.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.