Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

As chuvas freqüentes nas regiões de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, que estão elevando o nível do Rio São Francisco – decorrente dos rios afluentes das margens esquerda e direita do ‘Velho Chico’ – poderão acarretar na decisão da CHESF em abrir as comportas da Hidrelétrica de Xingó, localizada no município de Piranhas (AL).

Na última segunda-feira, 18 de janeiro, em Brasília – através de uma teleconferência para os diversos estados inseridos na bacia Hidrográfica do rio São Francisco – os representantes da Agência Nacional de Águas (ANA) discutiram o controle da vazão de sobradinho e as conseqüências da situação hidrometeorológica.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, que participou da teleconferência a partir da sede do colegiado, em Maceió (AL), ponderou sobre uma possível redução de Sobradinho – proposta pela ANA, que gera impacto negativo para a sobrevivência do rio, e a CHESF apresentou análise do volume morto de Sobradinho enfocando a posse da descarga de fundo da referida barragem.
Ficou definida uma segunda reunião para a próxima segunda-feira, dia 25 de janeiro, a partir de 10h pelo horário de Brasília, para discutir detalhadamente as posições a serem tomadas.

Diante do quadro atual, é provável que a CHESF abra as comportas da Hidrelétrica Xingó, independentemente da situação de Sobradinho – por conta do volume de água que vem aumentando naquela região -, visto que a de Xingó está recebendo, também, muita água dos afluentes dos estados de Pernambuco e Alagoas.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.